BlogBlogs.Com.Br

n

Glitter Photos

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) blogueira (o),
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto,será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes , experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos .
Se você leu ,experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog ,ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente,assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo,por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog,não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu ,que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem- vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009
Image Hosted by ImageShack.us

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

CATIVA-ME

Glitter Photos

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

quarta-feira, junho 20, 2012

Olimpíadas 2012>Linguagem esportiva 4>Sugestões de jogos> 20/06/12



Olimpíadas
Linguagem esportiva 4
Possibilidades de apreciar,
fazer e contextualizar
Confirmando:
Aulas instrucionais= regras de jogos=
aulas de linguagem= aulas informativas


A proposta é tratar pedagogicamente o esporte, considerado como manifestação da Cultura de movimento, de modo a contribuir com a formação das crianças.
Os esportes possuem como especificidade regras de caráter oficial, organizadas em federações que regulamentam a atuação amadora e profissional.
A intenção é proporcionar situações nas quais as crianças possam conhecê-los - apreciar, vivenciar, contextualizar e recriar.
Elas poderão conhecer :
Regras básicas de esportes coletivos e reinventá-las;
Práticas esportivas do Egito antigo e possíveis relações com esportes atuais;
Situações sistematizadas, nas quais são enfocadas modalidades esportivas coletivas e individuais;
Diferentes formas de se jogar esportes adaptados e das histórias de vida de alguns atletas.
Tudo isto e mais o que você,professor, planejar para suas aulas de linguagem esportiva.
Aqui você encontra  algumas sugestões e ideias.
Basta adequá-las as suas necessidades.
Boas aulas!

Reinventando o esporte

  - Aprender algumas regras básicas dos esportes coletivos mais praticados no Brasil.
- Reinventar algumas dessas regras e criar maneiras diferentes de se praticar alguns esportes tradicionais de nosso país.
- Aprender a agir com criatividade e criticidade diante das nuanças das práticas esportivas.

Duração das atividades
Cada atividade terá duração de 25 minutos compreendendo um total de 100 minutos.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Por se tratar de uma aula introdutória não serão necessários conhecimentos prévios ao tema da aula.

Estratégias e recursos da aula
Atividade 1 – Futebandeira
Duração: 25 minutos
Material: bola de futebol
Local: quadra ou pátio
Para dar início às atividades do tema “Reinventado o esporte” o(a) professor(a) poderá propor o futebandeira, um jogo que mistura as regras do futebol e da brincadeira do rouba-bandeira.
 Cada equipe poderá ter de 5 a 10 participantes.
O objetivo do jogo é atravessar a quadra da equipe adversária e chegar até a área de pontuação de sua equipe conduzindo a bola com os pés.
No entanto, não é permitido passar a bola para o companheiro que está à frente.
Os passes só podem ser feitos pra a lateral ou pra trás.
Diferentemente do rouba-bandeira os jogadores não podem ser colados no campo adversário.
A equipe que conseguir passar a bola entre seus jogadores e chegar até a área de gol marca um ponto.
 Ao final da partida a equipe que fizer maior número de pontos vence a partida.
Esse jogo é uma repaginação drástica das regras do futebol.
No entanto, ele guarda consigo algumas características fundamentais do futebol que são, o deslocamento em quadra, o passe e o trabalho em grupo.


Atividade 2 – Vôlei surpresa
Duração: 25 minutos
Material: bola de vôlei, lençol ou pano grande
Local: quadra ou pátio
Dando continuidade às atividades o(a) professor(a) poderá trabalhar com o jogo do vôlei surpresa. Este jogo apresenta duas mudanças básicas em relação ao vôlei.
Uma delas é a presença de uma rede tampada com lençóis que impede que as equipe vejam com clareza a movimentação dos adversários e a saibam a direção exata que a bola vem do outro campo.
A segunda modificação é a recepção do primeiro passe.
No vôlei surpresa os jogadores podem segurar a primeira bola que vem do campo do adversário.
O número de participantes por equipe pode variar de 6 a 10 jogadores.
As demais regras de pontuação seguem os padrões do vôlei convencional.


Atividade 3 – Basquete maluco
Duração: 25 minutos
Material: cones e bolas de basquete
Local: quadra ou pátio
Na seqüência das atividades o(a) professor(a) poderá trabalhar com o basquete maluco.
Esse jogo tem uma alteração básica com relação ao jogo de basquete tradicional.
 Suas cestas são cones que ficam com a abertura maior virada para cima e suspensa por um jogador.
 Este, por sua vez, ficará segurando a cesta de sua equipe e poderá se movimentar em quadra para dificultar a pontuação da equipe adversária.
No entanto, este jogador não poderá mudar o posicionamento da cesta, que deve ficar segura com as duas mãos na altura do abdômen.
 Todas as cestas terão a mesma pontuação; 2 pontos cada.
A equipe que fizer o maior número de pontos vencerá a partida.
As demais regras seguirão o padrão de jogo do basquete convencional.


Atividade 4 – Handetwobol
Duração: 25 minutos
Material: 2 bolas de handebol
Local: quadra ou pátio
Para finalizar as atividades o(a) professor(a) poderá trabalhar com o handetwobol.
Este jogo segue as mesma regras do handebol, porém utiliza 2 bolas ao mesmo tempo.
Isso modifica bastante a dinâmica do jogo, pois no handebol as equipes atacam e defendem em bloco.
Com duas bolas em quadra as equipes terão que dividir sua atenção, e em alguns casos, atacar e defender ao mesmo tempo.
As demais regras seguem o padrão do jogo de handebol convencional.

Recursos Complementares
Como sugestão de recurso complementar o(a) professor(a) poderá ler o livro de Sávio de Assis Reinventado o Esporte (acessado em 17/09/2010), cujo título da aula foi inspirado.
O autor revela um conjunto de críticas lançadas sobre o esporte, questionando desde a sua incompatibilidade com espaços e valores educativos, tomados de forma genérica, até a continuidade de sua existência em outra forma de organização social.
O autor lançou mão de uma pesquisa bibliográfica e de um estudo de caso envolvendo análise de documentos, observação de aulas e realização de entrevistas e seminários com professoras de uma escola pública, tomando como categoria analítica básica o par dialético realidade-possibilidade. Este livro poderá servir de inspiração para ampliar a proposta desta aula.

Avaliação
A avaliação consistirá em um debate com as crianças sobre os temas contemplados na aula. A discussão poderá abordar questões como:
- qual dos esportes teve suas regras mais alteradas?
- quais foram as conseqüências das mudanças de regras nas dinâmicas do jogo?
- qual esporte foi o mais difícil de praticar? - o que você aprendeu nessa aula?
Durante a discussão dos temas o(a) professor(a) irá registrar em um cartaz, intitulado “Reinventando o esporte!”, os comentários feitos pelas crianças durante o debate.
 Este cartaz poderá ser exposto posteriormente em algum espaço comum da escola para fomentar a discussão dos temas abordados com os demais integrantes da comunidade escolar.


ESPORTES: atividades praticadas
desde as antigas civilizações


• As crianças poderão aprender que alguns esportes praticados por nós nos dias atuais, foram criados e praticados no Antigo Egito. Esportes como: maratona, salto à distância, cabo de guerra, entre outros;
• As crianças também poderão perceber que os esportes tinham o papel de preparar e fortalecer o corpo dos egípcios para participar das batalhas com desempenho.

Duração das atividades
2 aulas de 30 minutos cada

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
As crianças deverão conhecer diversos tipos de esportes.

Estratégias e recursos da aula
Atividade 1 - Expressar os conhecimentos iniciais em uma conversa com os professores
1º momento
- O professor deve perguntar para as crianças se no Egito Antigo as pessoas praticavam esportes e quais esportes seriam esses.
 Em seguida, o professor apresenta diversas imagens de esportes praticados pelos povos egípcios, mostra para as crianças e solicita que façam uma leitura do que estão observando, depois fala sobre o esporte analisado e busca estabelecer semelhança com aqueles praticados atualmente.

Essa imagem se assemelha a qual esporte atualmente?

undefined

Atividade 2- Participar de jogos que lembram o esporte egípcio.
1º momento
- O professor leva as crianças para o pátio ou parque, ou quadra da escola, prepara um circuito, pontuando o início e fim com cones, da mesma maneira, proporcionar corda para a “brincadeira” de cabo de guerra, ou uma marcação no chão ou areia, delimitando “o salto à distância”.
Convoca-se às crianças para experimentar, ajudando-as a perceberem com o corpo necessita de força e concentração para executar atividades físicas.

2º momento:
Vivenciar com eles o cabo de guerra e atletismo.

3ª momento
- Tendo as crianças experimentado alguns desses esportes egípcios, o professor deve solicitar que registrem com desenho e escrita aqueles vivenciados por cada um.

Recursos Complementares
Esportes do Egito antigo
  
Os esportes

Avaliação
Avaliar se as crianças:
■Identificaram a variedade de esportes criados pelos egipcios;
■Compreenderam que o nosso corpo necessita de força e concentração pra executar algumas atividades;
■Executaram atividades de movimentos relacionadas com os esportes do antigo Egito.


O vôlei do vovô

- Conhecer um pouco da história do esporte e a maneira como era praticado no passado.
- Experimentar a dinâmica do jogo que originou o vôlei da atualidade.
- Aprender as regras mais elementares desse esporte, através das adaptações necessárias (exemplo: material, espaço, altura e tipo da rede).
- Coordenar diferentes movimentos com os braços e com as pernas - andar e tocar o balão, para frente, para trás, para o lado, esticar e flexionar os braços – tudo ao mesmo tempo, interagindo com o objeto e com o colega.

Duração das atividades
As atividades duraram entre 20 a 30 minutos compreendendo um total de 100 minutos.

Estratégias e recursos da aula
Atividade 1 – Como surgiu esse esporte?
Duração: 20 minutos
Material: Vídeo do Youtube
Local: Sala de informática
O(a) professor(a) poderá fazer uma introdução à história do voleibol apontando os motivos pelo qual esse esporte foi criado, o local onde foi criado e o nome de seu criador (Referência 1).
Em seguida poderá passar o filme que narra de maneira simples e clara um pouco do histórico desse esporte:




Atividade 2 – Vamos experimentar?
Duração: 30 minutos
Material: Balões
Local: Quadra
Nesse momento o(a) professor(a) entregará um balão para cada criança e pedirá que elas golpeiem seus balões para o alto sem deixá-los tocar ao chão.
 Em seguida, recolherá metade dos balões e dessa vez, em dupla, as crianças terão que jogar o balão para o colega sem segurá-lo, apenas golpeando-o.
É importante que a as orientações de não agarrar a bola sejam feitas em tom de desafio e não de maneira impositiva para não tolher ou constranger os movimentos das crianças.

Atividade 3 – Vôlei do passado
Duração: 30 minutos
Material: Um rolo de barbante e balões
Local: Quadra
Dando seqüência a atividade anterior, o(a) professor(a) amarrará um barbante nos potes de vôlei atravessando toda a extensão da marcação que divide a quadra.
Esse barbante servirá com a rede do vôlei e deve estar a uma altura pouco acima da cabeça das crianças.
Em seguida, dividirá as turmas em dois grupos que ficaram em lados opostos da quadra.
Com apenas um balão o(a) professor(a) explicará às crianças que o objetivo da brincadeira é tentar jogar o balão no chão da quadra adversária passando-o por cima do barbante.
O desafio é as crianças não agarrarem o balão.
As equipes podem dar quantos toques no balão forem necessários.
Para dar dinamicidade ao jogo e aumentar o grau de dificuldade o(a) professor(a) poderá incluir mais balões no jogo simultaneamente.
Ganha a equipe que fizer mais pontos.

Atividade 4 – Relaxando e refletindo
Duração: 20 minutos
Local: Quadra
Em seguida, o(a) professor(a) fará uma roda com as crianças para ouvir suas impressões sobre a aula, o que elas aprenderam sobre o vôlei e qual foi a percepção delas sobre o jogo (ex.: o que acharam difícil no jogo? que momento foi mais divertido? qual atividade foi mais interessante?) suas relação com o passado (será que o vovô ou a vovó jogavam vôlei quando eram pequenos?).
É interessante que o(a) professor(a) registre alguns comentários das crianças para que estes possam fazer para da avaliação final da aula.

Avaliação
Em sala, o(a) professor(a) pedirá às crianças para fazer uma representação gráfica do jogo de vôlei que era jogado no passado através desenhos.
Posteriormente, o(a) professor(a) poderá fazer um cartaz com os desenhos e comentários das crianças com o seguinte título: “O vôlei do vovô”.
 
 
Basqueteando

 
- Trabalhar alguns movimentos fundamentos técnicos e táticos do basquete através de atividades simples e brincadeiras.
- Coordenar diferentes movimentos com o espaço, os objetos e os colegas.
- Desenvolver a percepção do seu próprio corpo em relação ao tempo e espaço em que se realiza os movimentos.

Duração das atividades
Cada atividade terá duração de 25 minutos compreendendo um total de 100 minutos.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
É interessante que o professor tenha trabalhado alguns fundamentos básicos do basquete e apresentado o esporte através de vídeos para as crianças.
 Entretanto, não realização destas atividades prévias não impossibilita a realização desta outra.

Estratégias e recursos da aula
Atividade 1 – 21
Duração: 25 minutos
Material: bola de iniciação penalty nº 14 ou mini-bola de basquete
Local: quadra
O jogo do 21 consiste em uma prática lúdica que envolve o arremesso do basquete.
As crianças ficam dispostas em uma fila em frente à tabela do basquete.
A distância que a fila deve ficar da tabela pode variar com a idade das crianças e a altura da tabela, cabendo ao(à) professor(a) decidir.
Cada hora uma criança tentará um arremesso.
Caso acerte esta marcará 3 pontos e voltará para o final da fila.
Em caso de erro a criança poderá pegar o rebote e arremessar de onde pegou a bola, porém seu arremesso valerá apenas 2 pontos.
 Em caso de erro ou acerto a criança voltará pra o final da fila.
O jogo seguirá até que a primeira criança consiga somar 21 pontos.
É importante que o(a) professor(a) ajude as criança na soma dos pontos e peça a ela para memorizar sua pontuação.

Atividade 2 – Jogo dos 10 passes
Material: bola de iniciação penalty nº 14 ou mini-bola de basquete e coletes
Duração: 25 minutos
Local: quadra
No jogo dos 10 passes dividi-se as crianças em duas equipes utilizando coletes de cores diferentes. Joga-se a bola para o alto para que as equipes possam disputar sua posse.
A equipe que estiver com a posse da bola deverá realizar 10 passes (contados em voz alta pelos integrantes) sem ser interceptados pelos adversários.
 Caso a equipe adversária tome a posse de bola será iniciada uma nova contagem.
 A equipe que realizar 10 passes consecutivos marca um ponto.
O objetivo desse jogo é trabalhar os fundamentos do basquete de passe, marcação e desmarcação.

Atividade 3 – Basquete maluco
Duração: 25 minutos
Material: bola de iniciação penalty nº 14 ou mini-bola de basquete, coletes e cones
Local: quadra
No basquete maluco dividi-se as crianças em duas equipes utilizando coletes de cores diferentes. Uma criança de cada equipe segurará um cone grande virado de cabeça para baixo (na ausência de cones pode-se utilizar bambolês) que servirá com cesta.
Diferentemente do basquete tradicional onde a ce sta é um elemento estático, no basquete maluco a criança que estiver segurando o cone será a própria cesta e esta pode movimentar-se em quadra. A equipe que conseguir fazer mais cestas vence o jogo.

Atividade 4 – Mini-basquete
Duração: 25 minutos
Material: bola de iniciação penalty nº 14 ou mini-bola de basquete, coletes
Local: quadra
O mini-basquete consiste em realizar o jogo de basquete adaptado para as crianças.
Para tanto, é necessário colocar as tabelas em alturas menores e se possível relocá-las a fim de reduzir o tamanho oficial da quadra.
Segue-se assim um jogo com as regras básicas do basquete sem a necessidade de exigência quanto aos fundamentos de condução, arremesso e passe.
Conheça melhor o mini-basquete em:


Avaliação
Utilize as fotografias retiradas durantes as atividades e monte com as crianças um mural de fotos intitulado: “Basqueteando”.
 Esse recurso possibilitará às crianças um “feedback” sobre desenvolvimento delas durantes as atividades.

Troca-troca de bolas. (handebol).


O que o aluno poderá aprender com esta aula
Nessa aula de handebol, temos como objetivos proporcionar momentos de atividades que permitam aos alunos:
- conhecer e experimentar esta modalidade esportiva;
-  vivenciar situações de jogo livre;
- aprender a lançar e receber a bola com ambas as mãos;
- jogar desenhando diferentes trajetórias no ar, variando a força, a velocidade e a distância de lançamento e recebimento das bolas;
- experimentar brincadeiras que reúnam corridas, lançamentos e recepção das bolas;
- organizar diferentes parcerias e grupos entre os colegas para a realização das atividades.

Duração das atividades
2 aulas de 50 min. /total: 100min.

Espaços:
Espaço amplo: quadra ou pátio que possa ser marcado no chão (com giz, cordas, etc.)

Materiais:
Bolas que quiquem no chão e bolas de handebol.

Algumas dicas:
Os tempos das atividades são sugestões, que não devem ser seguidos rigorosamente pelos professores; tentem perceber o envolvimento e a motivação de cada turma e troquem, sempre que preciso, de atividades ou modifique-as quanto às formas, quanto ao tempo de duração, das maneiras que julgarem mais adequadas a cada grupo de alunos.

Atividade 1. Passes/lançamentos livres (10’).
De acordo com a quantidade de bolas disponíveis para as aulas, divida os alunos de maneira que fique o menor nº de alunos por bola.
Nesse momento deixe que os alunos experimentem jogar as bolas uns para os outros livremente. Se houver vários modelos de bolas, instrua para que troquem entre eles experimentando pesos diferentes de bolas, texturas, tamanhos, etc.
Depois, peça que brinquem variando as distâncias em relação aos colegas.
Também é interessante fazer trocas entre os pares/trios/grupos de crianças para estimular a formação de novos grupos.

Atividade 2. Lançando e recebendo (30’).
Agora que as crianças já experimentaram a brincadeira livre, os professores devem direcionar os movimentos, formas de lançar e receber, etc.
Algumas sugestões:
- Lançar e receber com as duas mãos.
- Lançar com uma das mãos, mas experimentando variar entre os lados.
- Lançar variando a direção: para os lados, para frente, em diagonal.
- Lançar variando a trajetória da bola: em linha reta, em parábola, etc.
- Lançar na altura da cabeça, do peito do colega percebendo se há diferença na forma de recepção.
- Receber sempre com as duas mãos, comunicando ao colega qual lançamento foi mais fácil de pegar, qual foi mais difícil, etc.

Atividade 3. Passa rápido. (20’)
Agora, o objetivo é acelerar a bola fazendo um passa rápido divertido, pedindo para que as crianças lancem sempre com uma das mãos e recebam com duas.
 Divida a turma em quartetos e disponibilize uma bola para cada grupo.
Dê um número para cada aluno de 1 a 4, ou dê nomes de frutas, ou de animais – como a criatividade mandar – e peça para que as crianças se coloquem em quadrado.
Por exemplo, se o professor der os nomes de “macaco”, “cachorro”, “pato” e “peixe”, as crianças guardam esses nomes e, ao sinal do professor, elas devem trocar a bola enviando para o animal indicado.
Cada vez mais rápidos os comandos devem ser, mas ninguém pode deixar cair a bola!

Atividade 4. Todos juntos! (30’)
O objetivo da atividade de agora é organizar duas equipes entre os alunos, combinar as regras jogo (que não precisam ser iguais às do esporte convencional), mas deixar que os alunos joguem livremente de acordo com as próprias regras, fazendo intervenções quando necessário.
Estimule-os também a não ficar muito tempo com a posse de bola para que troquem o maior nº de vezes possível antes de chegar ao gol.
Uma estratégia que pode ser utilizada é pedir para que fiquem apenas 3 seg. com a posse de bola ou que troquem entre os colegas, pelo menos, 4 vezes antes de chegar ao gol, entre outras.

Atividade 5. Avaliação (10’)
Algumas dicas: Os tempos das atividades são sugestões, que não devem ser seguidos rigorosamente pelos professores; t entem perceber o envolvimento e a motivação de cada turma e troquem, sempre que preciso, de atividades ou modifique-as quanto às formas, quanto ao tempo de duração, das maneiras que julgarem mais adequadas a cada grupo de alunos.

Avaliação
O professor deve avaliar a participação dos alunos nas atividades, o envolvimento e a interação com os colegas durante toda a aula.
Conversas com os alunos são sempre importantes e mostram o interesse das crianças pelo tema escolhido, além de indicar novas possibilidades para aulas posteriores.
O professor deve pensar em questões como: o que os alunos aprenderam nessa aula?
Quais são as estratégias pedagógicas que necessitam de ajustes?
Como foi a participação da turma em diferentes momentos da aula?
Que dificuldades tiveram para interagir com a bola?
A turma conseguiu entender o funcionamento do jogo?
 Tiveram facilidade para elaborar e combinar as próprias regras? Entre outras.


O país da bola

- Conhecer um pouco sobre a história do esporte mais praticado no mundo; o futebol.
- Conhecer um pouco da história de Pelé que é considerado um dos grandes ícones desse esporte.
- Vivenciar as regras básicas do esporte através de atividades em grupo e mini-jogos.
Duração das atividades
Cada atividade deverá ter uma duração de aproximadamente 25 minutos. Totalizando 100 minutos
Estratégias e recursos da aula
Atividade 1 - Quem foi Pelé?
Em sala, o(a) professor(a) fará a seguinte pergunta: Quem foi Pelé?
Através dessa indagação iniciará uma busca pela história do jogador considerado o grande ícone do futebol.
Como as crianças da Educação Infantil nunca o viram jogar, uma maneira interessante de começar a conhecê-lo é através da leitura do livro do Ziraldo Pelegrino e Petrônio.
A obra fala da história de um pé que queria ser bailarino e o outro jogador de futebol, citando Pelé.
Em seguida mostre algumas imagens do Pelé nas grandes conquistas do passado.
Essa atividade pode se desdobrar para os craques da atualidade que as crianças conhecem e os clubes que cada uma torce.
Sugestão de vídeo sobre Pelé:



Atividade 2 – O que é Copa do Mundo?
Na sala de vídeo, o(a) professor(a) fará uma introdução sobre as Copas do Mundo, dizendo com que frequência ocorre, quantas conquistas o Brasil tem, entres outras informações.
Em seguida, mostrará o DVD FIFA FEVER que mostra os melhores momentos da história das copas, privilegiando os anos de conquistas do Brasil.
Sugestão de vídeos sobre a copa do mundo:


Atividade 3 – Quem sabe jogar futebol?
Material: coletes coloridos e uma bola de futsal
Na quadra, o(a) professor(a) irá propor uma partida de futebol com apenas algumas regras básicas:

1ª os jogadores não poderão pegar a bola com a mão.

2ª cada um dos dois times deverá acertar a bola dentro do gol adversário.

3ª a equipe que fizer mais gols ganhará a partida.

Nesse momento algumas regras poderão ser omitidas ou modificadas para que não haja muitas interrupções na partida. Um exemplo é excluir a cobrança de lateral onde a bola poderá bater na parede e continuar o jogo; o outro é que a figura do goleiro pode ser excluída para possibilitar mais gols na partida.

Atividade 4 – O que aprendemos sobre o futebol?
Em quadra, após a higiene pessoal das crianças, o(a) professor(a) fará uma rodinha e perguntará às crianças o que elas aprenderam sobre o futebol.
Com isso, o(a) professor(a) poderá retomar alguns dos conteúdos trabalhados na aula e avaliará o que ficou mais marcante para as crianças sobre a história do futebol, os grandes craques desse esporte no passado e na atualidade, alguns times e torcidas do Brasil e qual foi a percepção delas na vivência desse esporte.

Avaliação
Em sala, ao final das atividades o(a) professor(a) pedirá às crianças para que realizem um desenho sobre o futebol.
Os desenhos farão parte de um mural com o título “O país da bola”.


“Futebols”

 
- Explorar diferentes formas de vivências do futebol.
- Vivenciar as regras básicas do esporte através de atividades em grupo e mini-jogos.
- Aprender a confeccionar uma bola de meia.

Duração das atividades
Cada atividade deverá ter uma duração de 30 a 35 minutos. Totalizando 100 minutos

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
É necessário que o(a) professor(a) tenha proporcionado às crianças uma vivência mínima sobre as regras do futebol

Estratégias e recursos da aula
Atividade 1 – Futebolão
Material: coletes coloridos e bola grande de plástico.
Na quadra, o(a) professor(a) irá propor uma partida de futebol com a bola grande de plástico onde as crianças poderão utilizar todo o corpo para jogar, inclusive as mãos.

Regras básicas:

1ª os jogadores poderão pegar a bola com a mão, mas sem agarrá-la.
2ª cada um dos dois times deverá acertar a bola dentro do gol adversário.
3ª não haverá goleiro, pois todos podem impedir o gol com as mãos.
4ª a equipe que fizer mais gols ganhará a partida.

Atividade 2 – Bola de meia
Material: jornal, meia de algodão, coletes e cones.
O(a) professor(a) irá confeccionar 2 bolas de meia com as crianças (instruções para confecção: faça uma bola de jornal e em seguida envolva-a com uma meia e torça a ponta, envolva novamente e repita esse movimento até chegar ao final da meia).
Após finalizada a bolinha, organize duas 2 partidas simultâneas de futebol de meia.
As metas serão feitas com os cones e as mini-quadras serão organizadas perpendicularmente ao sentido da quadra de futsal.
Serão 4 equipes de aproximadamente 4 a 5 crianças.

Regras básicas:

1ª os jogadores não poderão pegar a bola com a mão, pois não haverá goleiro.
2ª cada um dos dois times deverá acertar a bola dentro do gol adversário.
3ª a equipe que fizer mais gols ganhará a partida.
Caso não haja risco de acidentes o(a) professor(a) poderá propor que esse jogo seja realizado com os pés descalços para propiciar às crianças um melhor contato com a bola de meia.

Atividade 3 – Iniciação ao Futsal
Material: coletes coloridos e uma bola de futsal
Na quadra, o(a) professor(a) irá propor uma partida de futebol para retomar algumas regras básicas do jogo:

1ª os jogadores não poderão pegar a bola com a mão, com exceção ao goleiro.
2ª cada um dos dois times deverá acertar a bola dentro do gol adversário.
3ª a equipe que fizer mais gols ganhará a partida.
Nesse momento algumas regras poderão ser omitidas ou modificadas para que não haja muitas interrupções na partida.
Um exemplo é excluir a cobrança de lateral onde a bola poderá bater na parede e continuar o jogo; isso deverá dar mais dinamicidade ao jogo.

Avaliação
Em sala, ao final das atividades, o(a) professor(a) fará uma rodinha e realizará uma conversa com as crianças sobre as impressões que os(as) alunos(as) tiveram sobre as diferentes formas de praticar o futebol (ex.: Qual foi a mais difícil? Qual foi a mais divertida? Você se cansou muito?).
Como as crianças ainda estão no processo inicial de aprendizagem da leitura e da escrita, o próprio(a) professor(a) fará o registro escrito dos comentários dos alunos(as).

 
Raqueteando

  - Conhecer alguns esportes de raquetes pouco populares em nosso país.
- Trabalhar alguns movimentos básicos do badminton, do squash e do frescobol através de brincadeiras e atividades lúdicas.
- Coordenar diferentes movimentos com o espaço, os objetos e os colegas.
- Desenvolver a percepção do seu próprio corpo em relação ao tempo e espaço em que se realizam os movimentos.

Duração das atividades
Cada atividade terá duração de 25 minutos compreendendo um total de 100 minutos.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Por se tratar de uma aula introdutória ao tema não serão necessários conhecimentos prévios ao tema da aula.

Estratégias e recursos da aula
Atividade 1 – Raquetes diversas jogos diversos
Duração: 20 minutos
Material: vídeos da internet
Local: sala de informática
A proposta inicial é apresentar três esportes praticados com raquetes e que são pouco populares no Brasil: o badmington, o squash e o frescobol.
Sugestão de vídeos:







Atividade 2 – Badmington
Duração: 25 minutos
Material: raquete e peteca de badmington
Local: quadra
O(A) professor(a) poderá propor um “mini-badminton” utilizando a quadra de vôlei.
Para tanto, é necessário abaixar a rede para uma altura de aproximadamente 1,5m e dividir a linha dos 3mts em 4 mini-quadras (figura abaixo).
 Nesse momento não deve-se preocupar com as regras específicas do jogo, o objetivo é experimentar os movimentos propiciados pelo o esporte.
A única instrução que deve ser dada às crianças que o objetivo do jogo é acertar a peteca no campo do adversário e não deixar que caia em seu próprio campo, podendo dar apenas uma raquetada por vez na peteca.
Dessa forma, poderão jogar simultaneamente 8 duplas.
Caso haja um número maior de crianças na turma pode haver um revezamento de duplas, onde as crianças da “de fora” poderão rebater umas pra as outras sem utilizar a rede.


Atividade 3 – Squash
Duração: 25 minutos
Material: bola e raquete de squash (ou de tênis)
Local: quadra ou pátio
Essa atividade tem como objetivo possibilitar um primeiro contato das crianças com a prática do squash.
Conhecida popularmente como paredão, a brincadeira consiste em rebater a bola na parede.
Essa atividade pode ser realizada individualmente ou em dupla quando as crianças rebatem a mesma bola na parede alternadamente.
Em dupla essa brincadeira se assemelha muito com o squash.
Na brincadeira quando uma criança por algum motivo não consegue rebater a bola do colega na parede permiti ao colega marcar um ponto.

Atividade 4 – Frescobol
Duração: 25 minutos
Material: bola e raquete de frescobol
Local: quadra
Por fim, as crianças poderão experimentar o jogo de frescobol realizando uma atividade muito simples.
Em duplas as crianças tentarão rebater a bolinha uma pra a outra sem deixá-la cair.
A proposta dessa atividade é deixar as crianças explorar as possibilidades de movimento com os instrumentos, portanto, caso haja dificuldade entre as crianças pode-se realizar a atividade permitindo o quique da bola no chão.

Avaliação
Ao final, o(a) professor(a) poderá propor uma conversa com as crianças sobre o que elas aprenderam sobre o badminton, o squash e o frescobol.
Os comentários deverão ser registrados e afixados em cartaz intitulado “Raqueteando”.

 
Jogando paredão e squash

O que o aluno poderá aprender com esta aula
- Aprender sobre a origem e a história do Squash, bem como suas semelhanças com a tradicional brincadeira do paredão.
- Aprender as regras e alguns movimentos básicos do Squash através de atividades lúdicas.
- Aprender a construir os instrumentos necessários para a prática do Squash com materiais alternativos e adaptados para as crianças.

Duração das atividades
Cada atividade terá duração de 25 minutos compreendendo um total de 100 minutos.

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Por se tratar de uma aula introdutória não serão necessários conhecimentos prévios ao tema da aula.

Estratégias e recursos da aula

 
Figura 1 – Squash (acessado em 02/11/2010)

Atividade 1 – Conhecendo o Squash
Duração: 25 minutos
Material: computadores
Local: sala de informática
Para dar início à aula sobre o Squash o(a) professor(a) poderá introduzir o tema através de vídeos que relatem um pouco da origem e a história deste esporte bem como seu surgimento no Brasil. Para isso, o(a) professor(a) terá a sua disposição vídeos disponíveis na internet.

Sugestões de vídeos:




Atividade 2 – Paredão: o squash sem raquete
Duração: 25 minutos
Material: bola de vôlei e bolinha de borracha
Local: quadra ou pátio
Para dar início às atividades o(a) professor(a) poderá propor o “Paredão” (Figura 2), uma brincadeira tradicional muito presente em alguns contextos escolares.
Essa brincadeira pode ser feita com os pés ou as mãos.
Nesta aula trabalharemos com a modalidade que utiliza as mãos para estabelecer uma relação entre esta brincadeira e o Squash.
As regras do paredão são as seguintes:
■os jogadores tirarão par ou ímpar para decidir quem começará o jogo;
■o jogador que ganhou o par ou ímpar deverá iniciar as brincadeira golpeando a bola (ex.: bola de vôlei) em direção ao solo para que, em seguida, esta toque à parede;
■na seqüência o outro jogador deverá repetir o mesmo movimento sem deixar a bola parar;
■após tocar na parede a bola pode dar até um quique no chão antes que o outro jogar a golpeie novamente;
■se a bola quicar mais de uma vez o jogador que a golpeou por último marcará um ponto;
■se o jogador golpear a bola direto na parede sem que ela toque o solo anterioremente o jogador adversário também marcará um ponto;
■o jogador que marcar 10 pontos primeiro vence a partida.


Sugestões de variação:
- Esta modalidade do jogo em duplas também pode ser feita utilizando-se bolinhas de borracha (ex.: bolinha de squash) para que as crianças acostumem com o quique da bolinha que será utilizada no jogo de squash.
- A modalidade de duplas pode ser substituída por um número indeterminado de jogadores.
Basta que os jogadores organizem uma seqüência (ex.: fila) pré-estabelecida e cada jogador rebata a bola na sua vez.
Aquele que rebater errado ou deixar a bola dar mais de um quique no chão, antes de rebater, sairá da partida.
O jogador que ficar até o final da partida ganhará o jogo.

Atividade 3 – Construindo a raquete
Duração: 25 minutos
Material: retalhos de madeira, serrote, prego, martelo, tiras de borracha e cola madeira
Local: quadra ou pátio
Para dar início à atividade do squash o(a) professor(a) precisará de raquetes apropriadas para o jogo.
Caso não seja possível comprar as raquetes de squash o(a) professor(a) poderá construir, com as crianças, algumas raquetes de madeira (Figura 3).
Para isso, será necessário seguir os seguintes passos:
■pegue um retalho de madeira e desenhe um círculo de diâmetro aproximado de 25 cm (essa tarefa pode ser feita pelas crianças) (A);
■serre a madeira (B) no formato circular (C);
■pegue um cabo de vassoura de aproximadamente 30 cm e faça um corte serrilhado de 2 cm perpendicularmente (D);
■encaixe o círculo de madeira na ponta serrilhada do cabo de vassoura (E) e una ambas as partes com pregos (F);
■enrole uma fita de borracha na extremidade do cabo para fazer a empunhadura (G);
■passe um pouco de cola madeira nas pontas da borracha para que ela fique bem aderida ao cabo de madeira (H).



Atividade 4 – Squash
Duração: 25 minutos
Material: raquete de squash e bolinha de borracha
Local: quadra ou pátio
Após concluída a construção das raquetes o(a) professor(a) poderá trabalhar com as crianças o jogo do Squash (Figura 4).
Para isso, será preciso fazer algumas adaptações da regra oficial deste esporte. Incialmente serão desenhadas duas linhas paralelas na parede, onde a primeira estará a 50 cm do chão e segunda 2 mts.
Em seguida, será desenhada uma linha no chão paralela à parede e dista 1, 5 m da mesma.
Uma quarta linha será feita perpendicularmente à linha do chão para dividir as áreas de serviços. As regras aqui utilizadas serão semelhantes as do jogo de paredão excetuando o fato que os jogadores utilizarão as raquetes para golpear a bola e a mesma deverá tocar na parede no espaço compreendido entre as linhas vermelhas.
A divisão da área de serviço determina o local onde cada jogador irá realizar seu saque.


Regras oficiais do Squash:

Recursos Complementares
Paredão
Para apronfundar um pouco mais na brincadeira do paredão o(a) professor(a) poderá consultar também a aula sobre esse tema feita pelo professor Túlio Campos neste portal.
Link para a aula:


Squash
Após a atividade 1 o(a) professor(a) poderá reiterar o que foi exposto nos vídeos e falar um pouco mais sobre as regras e as competições de Squash.
 Para isso, o(a) professor(a) poderá buscar na internet textos e sites que embasem sua fala.
Sugestões de sites:



Avaliação
A avaliação consistirá em um debate com as crianças sobre os temas contemplados na aula.
A discussão poderá abordar questões como:
■quais as relações existentes entre o paredão e o squash?
■qual jogo foi mais difícil de jogar?
■como o squash surgiu no Brasil?
Durante a discussão dos temas o(a) professor(a) irá registrar em um cartaz, intitulado “Do Paredão ao Squash” os comentários feitos pelas crianças durante o debate.
 Este cartaz poderá ser exposto em algum espaço comum da escola para fomentar a discussão dos temas abordados com os demais integrantes da comunidade escolar.










Link para essa postagem


Um comentário:

  1. Olá Krika...saudades mil.
    Como seu blog é rico e iluminado em ideias e sugestões. Parabéns! Seu trabalho continua com muita qualidade....cada vez melhor.
    Ofereço a você o Selinho Feliz com você - 200 Seguidores. Passe lá, é todo seu. Afinal faz parte desta conquista.
    Ah...e mais Parabéns pelo aniversário do seu blog. Junho é especial...eu que o diga.
    Até mais, Rosangela.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e retornarei assim que for possível.
Obrigada pela visita e volte mais vezes!
Linguagem não se responsabilliza por ANÔNIMOS que aqui deixam suas mensagens com links duvidosos. Verifiquem a procedência do comentário!
Nosso idioma oficial é a LINGUA PORTUGUESA, atenção aos truques de virus.

Blog Widget by LinkWithin

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios