BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORAS VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
SERIA MUITO BOM RECEBER PALAVRINHAS...
QUEM SABE SUGESTÕES,DEPOIMENTOS,ETC.
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2017
8 ANOS DE LITERATURA INFANTIL

segunda-feira, junho 20, 2011

Cordel...Folclore... 20/06/11

LITERATURA DE CORDEL
Autor:Andréa Morais Diniz
Co-autor:Raimunda Ribeiro Porfírio Will
Estrutura Curricular
 Linguagem oral e escrita:
 Falar e escutar
 Práticas de escrita
 Práticas de leitura
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula:
■Promover o acesso à literatura de cordel através de autores nordestinos;
■Conhecer a origem da litertura de cordel e sua influência no universo da cultura nordestina;
■Identificar que o cordel tem origem na oralidade;
■Perceber os principais temas da literatura de cordel nordestina: romance, religião, política, preconceito social etc.
Duração das atividades: 2 AULAS
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Não tem pré-requesitos.
Estratégias e recursos da aula
Atividade 1
- Expressar o conhecimento sobre cordel
Iniciar uma conversa para fazer um levantamento prévio das experiências do grupo, fazendo as seguintes questões:
Alguém já leu cordel?
Onde encontramos o cordel?
Quem escreve o cordel?
 E como se ilustra o cordel?
 Ouvir todas as respostas e escrever as falas de cada aluno em cartaz.
Ao final, ler cada fala e perguntar quem expressou aquele comentário.
Atividade 2
- Cantar com os cordéis
Escolha um texto de cordel e leia para as crianças com entusiasmo e ênfase nas rimas.
Na segunda vez, voce eas crianças fazem uma musicalização com o texto, cantando em ritmo compassado.
Se na sua cidade houver violeiros faça um convite para vir cantar na escola, caso não tenha, procure na escola alguém que toque violão e convide-o para acompanhar a turma cantando com cordéis.
O violeiro pode ser uma pessoa da comunidade (escola, bairro, cidade).
Atividade 3
- Ilustrar capas do cordéis
Professor selecione antecipadamente 3 a 4 folhetos de cordéis.
Você deve Ampliar as capas com fotocópia e fixá-las na parede.
Em seguida faz uma leitura coletiva das imagens de cada capa.
A leitura pode ser orientada pelas seguintes questões:
 O que vocês veêm?
Que pessoas estão na figura?
Que animais?
O que eles estão fazendo?
Escolha 2 cordéis para ler o texto na íntegra e analise a compreensão do vocabulário apresentado. Ao final, solicite que as crianças desenhem uma das capas conforme as suas impressões.
De preferência usar papel branco e lápis preto de giz de cera.
Peça a cada aluno que mostre sua produção e fale sobre ela.
Recursos Complementares
Avaliação
Ao final da atividade, observar se o aluno:
1.percebe as temáticas apresentadas nos cordéis;
2.conhece algumas histórias lidas no cordel;
3.ilustra capa para os cordéis, percebendo alguns traçados da xilogravura.
Fonte:
 
  CORDEL ECOLÓGICO
Autor :Andréa Morais Diniz
Co-autor:Raimunda Porfírio Ribeiro Will
Estrutura Curricular
Natureza e sociedade Os seres vivos
Linguagem oral e escrita:
 Práticas de escrita
 Práticas de leitura
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula:
■Identificar nas leituras de cordéis palavras que tratam da natureza e relacioná-las com os elementos do ambiente natural.
■Caracterizar, nos versos, a relação do homem com a natureza;
■Analisar o jogo de palavras para anunciar uma situação da natureza.
Duração das atividades :2 a 3 aulas
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Não há pré-requesito.
Estratégias e recursos da aula
Atividade 1
- Ouvir e ler cordéis que tragam animais e sua relação com o meio ambiente.
1º Momento -
Professor escolha um cordel que trate da temática do meio ambiente.
A sugestão é o livro: Os Bichos Têm Razão de Antônio Francisco, no qual o texto é escrito em forma de cordel.
Leia o texto encontaradodo no site:
http://cordeljoseaugusto.blogspot.com/2010/02/os-animais-tem-razao_1374.html 
 E estabeleça um diálogo com as crianças.
Exemplo: Leia o primeiro verso do cordel e descubra o sentido que as crianças atribuem as palavras em vermelho, registre para acompanhar o processo de aprendizagem de cada uma.
1º verso
OS ANIMAIS TÊM RAZÃO
Quem já passou no sertão
E viu o solo rachado,
A caatinga cor de cinza,
Duvido não ter parado
Pra ficar olhando o verde
Do juazeiro copado.
2
E sair dali pensando:
Como pode a natureza
Num clima tão quente e seco,
Numa terra indefesa
Com tanta adversidade
Criar tamanha beleza
3
O juazeiro, seu moço,
É pra nós a resistência,
A força, a garra e a saga,
O grito de independência
Do sertanejo que luta
Na frente da emergência.
■Escollha fotos que retratem as palavras em negrito para ir construindo o sentido das palavras.
juazeiro
solo rachado caatinga
■A partir da análise das fotos, leve as crianças a estabelecer relações entre os elementos da natureza como: solo x água x luz x calor e seres vivos; a verificar características da vegetação do sertão do nordeste.
2º Momento -
Após a leitura do texto com a entonação de cordel, destaque o 4º e 5º versos, para construir o sentido das palavras em negrito.
Solicite que as crianças façam uma pesquisa de imagens dos animais com seus nomes encontrados nos versos e tragam para a escola
4º verso
Nos seus galhos se agasalham
Do periquito ao cancão.
É hotel do retirante
Que anda de pé no chão,
O general da caatinga
E o vigia do sertão
5º verso
E foi debaixo de um deles
Que eu vi um porco falando,
Um cachorro e uma cobra
E um burro reclamando,
Um rato e um morcego
E uma vaca escutando.
■Estabela um diálogo com as crianças iniciando com as questões norteadoras:
Quem ja viu um periquito?
Um morcego?
Um burro?
Um pássaro chamado cancão?
 Uma cobra cascavel?
O professor deve copiar as respostas em cartaz e logo depois confere no glossário do livro ou em dicionário convencional as palavras destacadas.
Em seguida verifica com os alunos as respostas, refletindo com eles sobre o resultado.
Destaca algumas palavras, escreve em cartões (cartolina) e distribui pela turma.
Faz a Releitura do texto e, durante a leitura, a criança que estiver com a palavra lida deverá identificá-la no texto.
Atividade 2 - Construção do painel com o cordel e seus personagens.
Cada aluno escolhe um personagem para ilustrar e reescrever as falas dos mesmos.
 Ressaltamos a importância do professor fazer a mediação para que todos os personagens do cordel sejam desenhados e a história do cordel seja composta por inteiro.
Posteriormente, organizar um painel e fazer uma exposição - o texto lido com as ilustrações dos alunos.
Atividade 3 - Refletir sobre a relação entre os animais e os homens.
O professor e os alunos refletem sobre o tema do cordel e a postura dos homens em relação aos animais e discutem sobre a impotância dos homens e de outros seres para a preservação do meio ambiente.
FRANCISCO, Antônio. Os animais têm razão. Fortaleza: IMEPH, 2010.
PAIXÃO, Fernando. A semente da verdade. Fortaleza, IMEPH, 2007.
Recursos Complementares
Visite o site da Academia Brasileira de Literatura de Cordel!
Avaliação
Ao final das atividades, perceber:
1.o envolvimento durante a contação de histórias;
2.as relações que tratam sobre a interação animal e homem;
3.se o aluno se sensibiliza com as questões abordadas;
4.se identifica palavras destacadas no texto.

A poesia de cordel:
aprendendo a fazer narrativas em versos

Autor Thyago Madeira França
Co-autor:Aparecida Clemilda Porto
Estrutura Curricular
Língua Portuguesa: Língua oral e escrita: prática de produção de textos orais e escritos
Literatura /Outras expressões: letras de música, hip hop, quadrinhos, cordel
Leitura e produção de textos
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula:
■conhecer, por meio da leitura e da escuta, as características textuais da literatura de cordel;
■conhecer a estrutura da narrativa poética na poesia de cordel;
■desenvolver pesquisas e debates acerca das características regionais (região dos alunos);
■desenvolver a produção de textos que se enquadrem nas características da literatura de cordel.
■promover um recital de poesias de cordel.
Duração das atividades: 7h/aula
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Para que a presente aula se efetive de forma exitosa, os alunos devem:
■conhecer as características estruturais do texto narrativo;
■conhecer as características estruturais do texto poético;
■conhecer concepções literárias que lidam com a temática social e regionalista.
Estratégias e recursos da aula
ATIVIDADE 01
Literatura regionalista
Por meio de um debate, discuta com todos os alunos da turma quais as características de uma literatura considerada regionalista:
■utilização da variedade linguística de uma dada região;
■espaço da narrativa bem definido (no nordeste brasileiro, no sertão mineiro, nos pampas gaúchos);
■narração de costumes, lendas e tradições que fazem parte de uma dada cultura regional.
Para isso, utilize fragmentos de obras literárias e autores considerados regionalistas.
Por exemplo:
■José Lins do Rego, traga fragmentos de "Menino de Engenho";
■Guimarães Rosa, traga fragmentos de "Grande Sertão Veredas";
■João Cabral de Melo Neto, traga fragmentos de "Morte e Vida Severina".
As três citadas obras possuem intenso caráter regionalista que se dá por meio de expressões populares, crenças, costumes, fauna e flora da região etc.
Faça cópias dos trechos e distribua para os alunos visualizarem tais características nas obras desses autores.
■expressões populares utilizadas;
■região retratada;
■costumes e tradições citadas.
A leitura deverá ser desenvolvida em sala de aula e em voz alta.
Caso possível, permita que todos os alunos leiam um fragmento dos textos recortados.
Alguns vídeos que podem ser reproduzidos para os alunos conhecerem um pouco sobre os principais autores de literatura regionalista brasileira.
Selecione um dos vídeos abaixo, optando pelo que melhor explorar a temática da literatura regionalista.
Guimarães Rosa: o mágico do reino das palavras [Mestres da literatura]
Quatro vezes quatro: João Cabral de Melo Neto [Mestres da literatura]
Observação: na galeria de Recursos Educacionais oferecida pelo Portal há vários vídeos sobre autores considerados regionalistas.
Após a leitura dos fragmentos das obras e a exibição dos vídeos, é importante que o professor discuta com os alunos o que foi depreendido acerca da literatura regionalista.
Peça que os alunos anotem no caderno as características e comentários que surgirem da leitura dos trechos, da exibição dos vídeos, bem como dessa discussão final.
Tais anotações auxiliarão nas próximas atividades.
ATIVIDADE 02
Conhecendo a estrutura da narrativa na Literatura de Cordel
A atividade poderá ser desenvolvida no laboratório de informática ou em sala de aula, desde que seja utilizado recursos de projeção de vídeos (datashow).
Como introdução da presente atividade, exiba os três vídeos para a classe.
Tais filmes servirão como base teórica acerca da Literatura de Cordel
1.O que é o cordel (em versos): http://www.youtube.com/watch?v=OTxEL9lptW4
2.O que é o cordel (documentário TV Globo):
Após a exibição dos vídeos, desenvolva uma discussão entre os alunos.
Organize-os em 4 ou 5 grupos para o desenvolvimento das discussões.
Eles deverão anotar no caderno as características da poesia de cordel depreendidas dos vídeos exibidos. Por exemplo:
■características estruturais - métrica, versos;
■narrativa em versos;
■temáticas fantásticas e regionalistas;
■metáforas, humor e rimas;
■xilogravuras;
■origem do nome cordel.
Nesse debate, o professor será o mediador, conduzindo o enfoque desejado para a discussão.
Se possível, mostre aos alunos como são impressas as histórias da Literatura de Cordel. Caso não consiga as obras, utilize as seguinte ilustrações:

ATIVIDADE 03
A cultura da nossa região
Boa parte da Literatura de Cordel produzida no Brasil tem como foco o regionalismo nordestino.
A presente atividade tem por objetivo desenvolver uma discussão acerca de questões que envolvam o regionalismo da turma em questão.
Por exemplo:
■uma turma de alunos do interior de Minas Gerais (jeitinho mineiro, costumes, personagens, tradições, culinária);
■uma turma de alunos do pantanal matogrossense (Pantanal, natureza, lendas e mitos, música, tradições);
■uma turma de alunos do Rio Grande do Sul (costumes gaúchos, origem europeia, danças e lendas, história).
Para desenvolver a atividade em questão:
■divida a turma em 4 ou 5 grupos;
■cada grupo pesquisará um aspecto da cultura regional (culinária, costumes, lendas, tradições etc);
■as pesquisas poderão ter como fonte a internet, livros, relatos orais (pais, avós, bisavós).
Terminado o prazo estipulado para a pesquisa, empreenda um fórum na classe, em que todos tenham seu momento de fala.
O professor será o mediador das apresentações, organizando o tempo de fala de cada grupo/aluno.
Peça aos alunos que:
■não interfiram na fala dos colegas;
■anotem possíveis dúvidas ou questionamentos;
■anotem no caderno as principais informações de cada uma das apresentações.
Utilize o momento posterior às apresentações para a solução das dúvidas e questionamentos que surgirem.
Caso sejam capazes, os alunos do grupo apresentado é que deverão responder aos questionamentos dos colegas.
Se não, o professor deverá interferir, quando possível, em comentários e citações equivocadas.
Assim como os alunos, faça sua pesquisa!
Sugestões bibliográficas:
■SODRÉ, Nelson Werneck; Síntese de História da Cultura Brasileira; São Paulo: Bertrand Brasil, 2003;
■BOSI, Alfredo; Cultura Brasileira: Temas e Situações; São Paulo: Editora Ática, 2002.
■MOTA, Carlos Guilherme; Ideologia da Cultura Brasileira (1933 - 1974); São Paulo: Editora Ática.
■CLAVERY; Luiz Felipe; "Cultura Brasileira"; 2008.
O objetivo é que os alunos adquiram o máximo de informações coerentes acerca da cultura de sua região.
ATIVIDADE 04
Produzindo um poema de cordel
Para a efetivação dessa atividade, o aluno deve:
■compreender as características da Literatura de Cordel;
■conhecer parte da cultura popular de sua região.
1.A partir das discussões empreendidas em classe (literatura regionalista, literatura de cordel, cultura popular da região), bem como das anotações feitas pelos alunos, será proposto ao aluno:
■produzir, individualmente, um texto literário que se enquadre nas características cordelistas (regionalismo, narrativa com rimas, humor e metáforas);
■utilizar como temática da narrativa em versos o conteúdo compartilhado acerca da cultura regional em questão;
■utilizar as características de impressão tradicional do cordel (folha sulfite comum dobrada ao meio e capa como sulfite colorido);
■se possível, produzir uma ilustração que se assemelhe à técnica da xilogravura.
Lembre-se: Não exija textos muito extensos, já que o objetivo é que os alunos produzam um texto artístico.
ATIVIDADE 05
Promovendo um recital de poesias de cordel
Após a produção dos textos em cordel, proponha aos alunos desenvolver um recital.
Discuta com eles a natureza do recital. Por exemplo:
■os textos serão recitados somente para os colegas da turma?
■cada aluno recitará uma poesia completa ou somente alguns versos?
■serão convidados outras turmas da escola?
■será um evento aberto aos familiares dos alunos?
Após decidido a natureza do recital, é importante que seja desenvolvido, pelo menos, dois ensaios com os alunos, visando:
■aprimorar a leitura expressiva e poética;
■construir possíveis cenários e figurinos;
■organizar a ordem e o tempo de duração das apresentações.
Como o ensaio para o recital é imprescindível, os mesmos deverão ocorrer entre as atividades 04 e 05.
Observação: Avaliar o desempenho dos alunos em um recital de poesias nem sempre é fácil. Alunos que, de repente, se dedicaram bastante, podem não se sair muito bem no que tange à expressividade poética.
Busque caminhos avaliativos que equilibrem esses fatores.
O recital de poesias é uma atividade de instenso valor poético, literário, cultural e linguístico.
Recursos Educacionais
Nome                                                                                                             Tipo
Quatro vezes quatro: João Cabral de Melo Neto [Mestres da literatura] Vídeo
Guimarães Rosa: o mágico do reino das palavras [Mestres da literatura] Vídeo
Recursos Complementares
Os três recursos ampliam o conhecimento acerca da Literatura de Cordel.
Compartilhe com os alunos durante uma aula no laboratório de informática.
1. Trailer do filme "O Auto da Compadecida", de Guel Arraes (baseado em um cordel de Ariano Suassuna)
2. Home page da Academia Brasileira de Literatura de Cordel
3. Animação "A árvore do dinheiro", dirigida por Marcos Buccini e Diego Credidio.
Utiliza o cordel como constituição do enredo da narrativa.
Avaliação
Após a efetivação das seguinte aulas, o aluno deverá ser avaliado a partir dos critérios:
■Compreensão do conceito de literatura regionalista;
■Compreensão das características, peculiaridades e origem da Literatura de Cordel;
■Pesquisa, discussão e organização das informações sobre a cultura popular de sua região;
■Produção de um texto literário que comunge as características cordelistas e a temática regionalista da região;
■Organização, preparação e dedicação para o recital de poesias.

Acessem este site.
Aulas : FOLCLORE




Link para essa postagem


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e retornarei assim que for possível.
Obrigada pela visita e volte mais vezes!
Linguagem não se responsabilliza por ANÔNIMOS que aqui deixam suas mensagens com links duvidosos. Verifiquem a procedência do comentário!
Nosso idioma oficial é a LINGUA PORTUGUESA, atenção aos truques de virus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios