BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORES VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2019
10 ANOS DE LITERATURA INFANTIL
ACOMPANHEM LINGUAGEM E AFINS NO FACEBOOK TAMBÉM!

domingo, junho 30, 2019

PROJETO LENDAS EM DOBRADURAS>Comemorando o folclore>30/06/2019


Considerações gerais/Folclore/Motivação
 para abordagem do tema e afins
O jeito adequado de trabalhar o folclore
Aborde temas que fazem parte do cotidiano dos alunos

Para aproximar o folclore da realidade dos alunos na Educação Infantil, os educadores podem inserir nos planos de aula brincadeiras e cantigas de roda (como ponto de partida e não como abordagem exclusiva). Além de estimular o movimento, algo fundamental nessa etária, elas ajudam as crianças a desenvolver a fala. Batucar e dançar ritmos regionais, por exemplo, faz os pequenos entrarem em contato com manifestações artísticas locais, que são expressões de sua cultura. 

A partir do 1º ano, já é possível contar com a ajuda dos alunos para levantar diversos elementos do folclore, sem perder de vista que um ensino eficiente requer planejamento, avaliação inicial e contínua e uma sequência lógica que leve à construção do conhecimento. 

Não faz muito sentido para um aluno do Sudeste brasileiro, por exemplo, entrar em contato com mitos e lendas da Amazônia se ele ainda não conseguiu entender a noção de folclore. 

É com base no levantamento de exemplos de situações mais próximas da realidade dos estudantes que o professor consegue perceber quando introduzir os aspectos que fazem parte da cultura de outras regiões do país - que ele não pratica, mas que podem ser melhor entendidos por meio dessa análise que parte dos elementos mais conhecidos e segue para outros mais distantes. 
Para um aluno pernambucano, por exemplo, entender as origens do carnaval de Olinda e aprender mais sobre os festejos locais pode ajudar na identificação de diferenças e semelhanças na celebração da festa no restante do Brasil.
Estimular os estudantes a pesquisar sobre suas próprias comunidades e até mesmo hábitos familiares pode ser um ótimo ponto de partida para o ensino da noção de folclore. Fonte

Sugestão para abordagem inicial:
Professor, organize a turma em roda de conversa, pois proporciona espaços para diálogo; aproximações e troca de experiências, opiniões e sentimentos entre todos os alunos. 
Assentados em roda, apresente aos alunos figuras de personagens do folclore brasileiro. Exemplos:
 Saci-Pererê, boto cor de rosa,mula sem cabeça,etc
  • Em seguida, indague à turma:
  • Vocês conhecem alguns desses personagens?
  • Quem são eles?
  • Eles fazem parte de qual história?
  • Alguém poderia contar a história para os colegas?
Professor, após ouvir as opiniões dos alunos, levante o conhecimento prévio dos mesmos, sobre as histórias e as lendas do folclore brasileiro. Esclareça o significado de folclore. Procure saber o repertório dos alunos sobre a temática. Muitas crianças conhecem algumas histórias, parlendas, músicas e brincadeiras sem terem consciência de que fazem parte do folclore brasileiro.
 Professor, incentive os alunos a contarem suas histórias e apresente outras histórias dos mitos da tradição oral. Dê exemplos de alguns costumes e tradições, pois os alunos, provavelmente, não devem estar familiarizados com esses termos.
Fonte

Músicas sobre os personagens folclóricos para  interagir mais com o tema: AQUI


As lendas são de autoria anônima, transmitidas pela tradição oral através dos tempos.
Lidam com problemas humanos universais, em que o homem tenta compreender e explicar os mistérios do universo tecendo tramas narrativas. Assim, as lendas foram criadas por homens de diferentes tempos e lugares como uma maneira de explicar o que não conheciam, como o surgimento da Terra, o dia e a noite e outros fenômenos da natureza.
     Nesse gênero, o bem e o mal se confundem, assim como o humano e o fantástico.Daí o aparecimento de monstros, heróis, deuses e vários seres imaginários que misturam fatos reais e históricos com outros, irreais, produtos da imaginação.

     O objetivo maior de um projeto sobre lendas é ampliar a capacidade dos alunos no uso das práticas de linguagem, de modo que se tornem cada vez mais competentes na oralidade, leitura e escrita.
 Vale lembrar também que, ao conhecer e apreciar lendas, os alunos podem compreender melhor a sua e outras culturas, o que favorece o respeito às diferenças.
     Para que isso se dê, é importante garantir a realização de sequências didáticas, bem como atividades permanentes, tais como a “Roda de leitura”. Nesse caso, é interessante que haja momentos específicos para a leitura do professor e outros, também na escola, para a leitura dos alunos, situações em que poderão escolher qual lenda lerão entre várias oferecidas.
    A “Roda de biblioteca”, ocasião em que devem levar um livro para ler em casa e devolvê-lo em data combinada, também é importante para garantir a prática da leitura.
    No desenvolvimento das atividades, a discussão temática das lendas – articulando aos textos informações sobre sua origem, região de circulação e personagens – é fundamental para a recuperação do contexto de produção das mesmas e, em especial, dos sentidos que veiculam.
   Além disso, é importante que o planejamento das atividades fi que claro para os alunos, de modo que eles possam compreender tanto os conteúdos com os quais vão lidar no projeto, quanto quais serão as suas responsabilidades em cada etapa do mesmo. Fonte
Linguagem e Afins traz sugestões e ideias para seu planejamento.
Portanto adeque a sua realidade.

Projeto Lendas em dobraduras
Objetivos:
Conhecer sobre lendas;
Aprender o significado de tolerância religiosa;
Respeitar e cuidar da natureza;
Respeitar as diferenças dos outros, sejam elas limitações físicas ou cor da pele;
Localizar palavras no dicionário;
Formular hipóteses sobre o tema da aula;
Reconhecer que a leitura é uma forma de auxiliar na resolução de problemas;
Desenvolver a leitura e a escrita por meio de atividades sobre o tema;
Desenvolver atitudes de interação, de colaboração e de troca de experiências em grupos;
Respeitar diferentes pontos de vista que as pessoas possuem sobre o assunto;
Desenvolver a concentração e a coordenação motora, ouvir histórias e realizar dobraduras dos seus personagens;
Trabalhar com a arte da dobradura como terapia e elemento desencadeador da criatividade;
Promover a interdisciplinaridade através de valor,ética ,sustentabilidade,etc.
1º Momento:  
O que é lenda?
Lenda é uma narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral através dos tempos. De caráter fantástico e/ou fictício (fruto da ficção), as lendas combinam fatos reais e históricos com fatos irreais que são meramente produto da imaginação aventuresca humana.
Com exemplos bem definidos em todos os países do mundo, as lendas geralmente fornecem explicações plausíveis, e até certo ponto aceitáveis, para coisas que não têm explicações científicas comprovadas, como acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais. Podemos entender que lenda é uma degeneração do mito grego. Como diz o dito popular "Quem conta um conto aumenta um ponto", as lendas, pelo fato de serem repassadas oralmente de geração a geração, sofrem alterações à medida que vão sendo recontadas.
São inúmeras as lendas brasileiras, influenciadas diretamente pela miscigenação na origem do povo brasileiro. Devemos levar em conta que uma lenda não significa uma mentira, nem tão pouco uma verdade absoluta, o que devemos considerar é que uma história para ser criada, defendida e o mais importante, ter sobrevivido na memória das pessoas, ela deve ter no mínimo uma parcela de fatos verídicos.
Muitos pesquisadores, historiadores, ou folcloristas, afirmam que as lendas são apenas frutos da imaginação popular, porém como sabemos as lendas em muitos povos são "os livros na memória dos mais sábios".
2º Momento:
Conhecendo algumas lendas
Professor, as lendas são importantes ferramentas para trabalhar inúmeras habilidades. Inicie este momento trabalhando a habilidade motora e artística de seus alunos por meio da coloração de desenhos sobre a temática e com a sondagem do que eles sabem sobre algumas lendas do folclore brasileiro. Reproduza a atividade a seguir para eles fazerem e colarem em seus cadernos de Língua Portuguesa.
NOME DA LENDA: 
O QUE VOCÊ SABE SOBRE ELA? 
Os desenhos desta atividade estão: AQUI
3º Momento
Possibilidades de trabalho com lendas
Professor, como foi dito anteriormente, as lendas oferecem inúmeras possibilidades de trabalho. Vejamos algumas:

A)    Lenda da Mula Sem Cabeça: trabalhando a tolerância religiosa

Professor, é visível em nosso meio a grande intolerância das pessoas em relação a diversas coisas e uma dessas intolerâncias se relaciona com a religião. Na escola não é diferente, muitos alunos “herdam” essa intolerância da família. É preciso ficar atento e não permitir que questões religiosas influenciem no aprendizado e no relacionamento entre os alunos.A seguir, exiba o vídeo  que retrata de forma lúdica e simples a lenda da “Mula Sem Cabeça”. AQUI
Após a exibição do vídeo, converse com sua turma sobre a questão do respeito que devemos ter com todas as pessoas, independente de suas opções ou preferências. Proponha uma atividade para ser realizada em casa com o auxílio dos pais.
Observação ao professor: Se a escola em que você trabalha também é intolerante em relação à religião ou levanta a bandeira de escola laica, avalie e decida se é pertinente aplicar a atividade. Lembre-se que você também poderá ter alunos que não possuem religião, que sejam ateus e isto deve ser respeitado.
Realize uma pesquisa sobre a sua religião. Exiba para a turma os pontos que julgar interessante.
Atenção!
O objetivo da atividade não é tentar convencer os colegas a aderirem à sua religião, mas dar a conhecer sobre ela para que todos possam respeitá-la.
Você possui religião?
 Qual é o nome dela?
O que você mais gosta em sua religião?
mula

mula1

B)  Lenda da Vitória Régia: A relação do homem com a natureza

Professor, para seus alunos conhecerem a lenda da "Vitória Régia", assista com eles o vídeo a seguir que retrata de forma lúdica e simples esta lenda.

Pergunte a eles quem conhece alguma situação em que a natureza prejudicou o homem e quem conhece alguma situação em que o homem prejudicou a natureza. A seguir, reproduza a atividade para eles realizarem.
Observe as imagens abaixo e em seguida escreva uma frase explicando o que você entendeu.

Globo terrestre doente

Natureza saudável

C) Lenda do Lobisomen: o lado irracional que todo ser humano traz consigo 

A “Lenda do Lobisomen” tem origem em um mito grego. Um rei da mitologia grega, Licaão, que foi transformado em lobo pelo deus Zeus. Esse mito existe em várias partes do mundo, onde cada região elegeu um animal: tigres, raposas, leopardos e onças. No Brasil, elegeu-se o lobo. Em noites de lua cheia, um homem se transforma parcialmente em um lobo com características perversas, ataca e devora suas vítimas, sugando o seu sangue. Na manhã seguinte, tudo volta ao normal. Professor, trabalhe a questão do nervosismo x serenidade. Demonstre com exemplos, as vantagens de resolver os conflitos sob a forma do diálogo e as desvantagens de resolver situações conflituosas como se fosse um animal irracional. Em muitas escolas, alguns alunos chegam a ficar tão nervosos a ponto de colocarem sua saúde e a integridade física dos colegas em risco. Eles se esquecem de que na manhã seguinte, tudo volta ao normal.Observe a imagem abaixo, reflita e responda marcando com um (X) na atitude que você tomaria:

Agressão verbal
Imagine que você está no recreio e é agredido com palavras que te machucaram emocionalmente conforme a ilustração acima. Como você reagiria:
1) (   ) Viraria as costas, fugiria da situação e pediria para mudar de escola.
2) (   ) Conversaria como o colega que te agrediu verbalmente e se não houvesse um acordo procuraria a direção da escola.
3) (   ) Deixaria aparecer em você seu lado irracional e partiria para a agressão física.
 


D)    Lenda do Negrinho do Pastoreio: a questão da discriminação racial

Professor para discutir sobre a discriminação racial exiba o vídeo que relata a lenda do “Negrinho do Pastoreio”, ela servirá de “pano de fundo” para iniciar este debate. 
Casal branca e preto
Professor, a questão racial no Brasil ainda traz lembranças doloridas, principalmente pelo fato de ela ainda não ter sido bem resolvida. Mesmo a população negra chegando a quase 80 milhões de pessoas, o racismo ainda é um tema delicado. Existe um preconceito velado (disfarçado) sobre o judeu, árabes, mas, sobretudo negros. Relate o seguinte fato histórico aos seus alunos:
No dia 21 de março de 1960, na cidade de Joanesburgo, capital da África do Sul, 20 mil negros protestavam contra a lei do passe, que os obrigava a portar cartões de identificação, especificando os locais por onde eles podiam circular.
No bairro de Shaperville, os manifestantes se depararam com tropas do exército. Mesmo sendo uma manifestação pacífica, o exército atirou sobre a multidão, matando 69 pessoas e ferindo outras 186. Esta ação ficou conhecida como o Massacre de Shaperville. Em memória à tragédia, a ONU – Organização das Nações Unidas – instituiu 21 de março como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial.
O mundialmente famoso cantor jamaicano de reggae, chamado Bob Marley, certa vez disse a seguinte frase:

Frase de Bob Marley
Professor, com base no texto, solicite aos seus alunos que façam as seguintes atividades:
1) Localize no dicionário as palavras: racismo e intolerância.
2) Responda as seguintes perguntas:
a) Você é racista?Justifique sua resposta.
 b) Qual é o dia em que se comemora o dia internacional contra o racismo?

Continua:  AQUI Curupira também

E)    Lenda do Curupira: respeito com os colegas que possuem alguma deficiência física
Professor, nesta lenda, o personagem principal tem os pés virados para traz. Essa característica lhe dá abertura para trabalhar o respeito e o cuidado que todos nós devemos ter com as pessoas que são portadoras de necessidades especiais. Esclareça a seus alunos que deficiência é o termo usado para definir a ausência ou a disfunção de uma estrutura psíquica, fisiológica ou anatômica. Diz respeito à atividade exercida pela biologia da pessoa. Este conceito foi definido pela Organização Mundial de Saúde. Atualmente o termo deficiente foi substituído pelo termo portador de necessidades especiais.
Professor, você pode fazer com que seus alunos aprendam na prática o respeito e o carinho que devem ter com quem necessita de cuidados especiais. Faça uma dinâmica onde cada um demonstre o medo que tem de ficar doente ou com alguma deficiência. Providencie cadeiras de rodas, muletas, bengalas, vendas de olhos e outro objeto que simule ou faz lembrar alguma deficiência. Solicite que ele tenha contato com seu medo para depois partilhar a experiência vivida. Por exemplo, se seu aluno tem medo de ficar cego, coloque a venda em seus olhos; se tem medo de ficar paralítico, convide-o a andar de cadeiras de rodas e assim por diante. Você vai ver que é uma experiência fantástica. Lembre-se que a partilha é o momento auge desta atividade.Fonte

Enriquecendo sua pesquisa
Dobraduras/Lendas
AQUI
AQUI
AQUI
AQUI
AQUI
AQUI
AQUI
Sequência didática
AQUI
Um curupira atrapalhado
AQUI

Projetos Folclore- sugestões
Conteúdos de história
Abrange tudo sobre folclore,separadamente
Destaque: Etapas de realização,integração nas áreas de conhecimento
Projeto Folclore do meu Brasil




Link para essa postagem


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e retornarei assim que for possível.
Obrigada pela visita e volte mais vezes!
Linguagem não se responsabilliza por ANÔNIMOS que aqui deixam suas mensagens com links duvidosos. Verifiquem a procedência do comentário!
Nosso idioma oficial é a LINGUA PORTUGUESA, atenção aos truques de virus.

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios