BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORAS VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
SERIA MUITO BOM RECEBER PALAVRINHAS...
QUEM SABE SUGESTÕES,DEPOIMENTOS,ETC.
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2017
8 ANOS DE LITERATURA INFANTIL

sábado, agosto 19, 2017

Iara e a poluição das águas>Lenda Iara>Bricolagem e afins>19/08/2017

A história de 'A Iara e a Poluição das Águas' é contada por uma conhecida personagem do nosso folclore: a Iara, protetora das águas. Mas ela não está sozinha.
 O Curupira, protetor das matas e dos animais, também tem muito a dizer. 

Para tornar os ensinamentos mais atraentes, o autor criou uma fábula em que os animais se expressam. 
O objetivo do livro é mostrar que a poluição das águas é um crime contra a natureza e que poderia ser evitado com medidas simples e, principalmente, com a nossa conscientização e cooperação.

Livro

Aula/A poluição das águas e os animais>derramamento de petróleo
A lenda da Iara
Turma da Monica


Atividades

Bricolagem das sereias
Prof Fayne Feitosa
Grupo Prof de educação infantl/facebook

Cauda pintada com giz de cera, lantejoulas e gliter. Gravuras de revistas






Link para essa postagem


sexta-feira, agosto 18, 2017

Lendas urbanas>Projetos >Mistério>terror>Contos>18/08/2017


Projeto Lendas urbanas/Tarsila do Amaral
Neste projeto de produção usaremos o imaginário infantil refletindo o conteúdo cultural evidente no folclore brasileiro e a arte como forma de conceber essa realização.
OBJETIVO GERAL:
Desenvolver a capacidade criadora nas produções orais e escritas.     
  •  Estudar elementos do folclore brasileiro;                                                                                     
  •    Apreciar e discutir a tela Abapuru de Tarsila do  Amaral;   
  •    Ler biografia e obras de Tarsila do Amaral;
  •    Discutir e Definir Antropofagismo;
  •     Reescrever a Tela Abapuru, colocando elementos peculiares de cada aluno;
  •     Descrever aspectos físicos e psicológicos do personagem Abapuru;
  •    Criar uma história escrita com esse personagem amparada nas lendas do Curupira, Boitatá, Cuca, Bicho Papão, entre outros.
  •     Apresentar a história criada aos colegas da sala de aula lendo ou contando.                   Mais   AQUI
Projeto Tradição oral/Lendas urbanas

Aula
As lendas no cotidiano escolar
Falando de lendas urbanas para os pequenos

Projeto Lendas urbanas




Link para essa postagem


A loira do banheiro>Lendas urbanas e afins>Produção de textos>18/08/2017


O que são lendas urbanas?

Esse subgênero literário (que faz parte do gênero lenda) passou a integrar o planejamento quando a educadora propôs como tarefa de casa que os estudantes perguntassem a amigos e familiares quais lendas eles conheciam. Ela esperava que eles levassem para a escola histórias folclóricas como a do Saci-Pererê, da Mula Sem Cabeça, do Boto e do Curupira. Mas nada disso - só a do Negrinho do Pastoreio apareceu e, ainda assim, uma vez. Em vez deles, as crianças falaram da Loira do Banheiro, do Homem do Saco e da Gangue dos Palhaços.  

"Notei que seria interessante organizar sessões de leituras dessas lendas e problematizar as diferenças entre elas e as folclóricas, comparando as características desse subgênero com as dos contos maravilhosos e das fábulas, que estávamos lendo também", diz Fernanda. 

A proposta foi aceita com empolgação pela garotada, que pesquisou uma porção de lendas urbanas. Depois, foi a vez de a professora levar para a turma um texto que contava a lenda da Mulher da Meia-Noite a fim de fazer um estudo mais focado. Ela também preparou um roteiro para orientar a leitura. O objetivo era levar os alunos a observar e sistematizar as características que marcam o subgênero. Por fim, a docente instruiu a moçada na organização de um quadro comparativo das diversas particularidades dos outros gêneros.


De acordo com a região, detalhes sofrem alterações
Mulher da meia-noite. Ilustração: Raphael Salimena
Mulher da meia-noite Sedutora, usa um vestido vermelho (ou branco, dependendo da versão). Passa as noites em busca de homens solitários, que se dispõem a acompanhá-la até sua casa. Mas, à meia-noite, ela desaparece.
Transmitida pela tradição oral, a lenda urbana é uma narrativa simples e curta, tal como a folclórica. Ambas são, por excelência, produtos inacabados, à espera de alguém que faça uma mudança aqui ou ali no enredo. "Elas estão sempre sendo ressignificadas", explica Heloisa Prietro, doutora em Literatura pela Universidade de São Paulo (USP) e autora de livros infantis e juvenis. Não é à toa que alguns personagens aparecem em lendas contadas nos quatro cantos do país, só que em diferentes contextos e com estilos e marcas. Por exemplo, são muitas as moças bonitas e loiras presentes no imaginário popular: a do Banheiro, a do Cemitério do Bonfim e a da Estrada. 

Outra característica marcante do subgênero é que, tal como ocorre com a lenda folclórica, quem conta a urbana precisa se esforçar para convencer o interlocutor de que se trata da mais pura verdade. Porém essa é uma tarefa difícil, já que o narrador quase nunca vive o personagem (embora sempre saiba onde e quando o fato ocorreu). É o primo de alguém distante ou o amigo do amigo, por exemplo, que desobedeceu aos pais e foi levado pelo Homem do Saco. Assim, é comum encontrar durante a narração expressões como: "Sei que é difícil acreditar, mas juro que é verdade". 
"Muitas vezes, também são somados à história elementos e acontecimentos do cotidiano da comunidade local", explica Carlos Renato Lopes, professor do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e autor da tese Lendas Urbanas na Internet: Entre a Ordem do Discurso e o Acontecimento Enunciativo. Por exemplo, a má sorte de uma pessoa pode ser creditada como culpa de um personagem.
Histórias podem ter mais de um século de vida
Homem do saco. Ilustração: Raphael Salimena
Homem do saco Sujo e malvestido, ele anda pelas ruas à procura de crianças para raptá-las. Há versões em que alguns pais entregam seus filhos desobedientes para que ele os leve embora.
Além de se dedicar à organização de sessões de leitura, pesquisas e análises das características das lendas urbanas, cuide para que três informações não passem despercebidas pelos alunos: 
- Elas não existem só nos grandes centros urbanos. Algumas surgem com narrativas do folclore tradicional de uma região e são adaptadas ao longo do tempo, incorporando aspectos cotidianos. 



- Não são narrativas recentes, contemporâneas. As primeiras surgiram no século 18, com as grandes aglomerações de pessoas e os primeiros jornais, que nem sempre se prezavam pela verdade, mas por noticiar fatos intrigantes. 


- Alguns motes também não são inéditos. O fato de a Gangue dos Palhaços sequestrar crianças para extrair e comercializar os órgãos delas já foi explorado em O Mercador de Veneza, do inglês William Shakespeare (1564-1616). Em certo momento do livro, ao emprestar dinheiro ao mercador Antonio, Shylock, um judeu rico, pede como garantia "uma libra de carne humana" como forma de pagamento de uma dívida.


Quando falamos em folclore, geralmente lembramos de lendas como Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Lobisomem; mas há outras lendas, que fazem parte também do folclore, que não costumamos lembrar nesse momento: são as lendas do FOLCLORE URBANO.
O Saci, a Mula, o Curupira e outras lendas tradicionais tiveram origem em um cenário mais rural. Fato é que quando as cidades começaram a expandir, lendas surgiram também nelas e chamamos este outro tipo de lenda, também passada de geração para geração, de LENDA URBANA.
mirror
       Elas chamam igualmente a atenção da criançada. Na verdade, chama até mais, uma vez que grande parte delas tem um fundo de conto de terror. O mais interessante é que são quase as mesmas na maioria dos países, com leves alterações mesmo.

Talvez as mais populares sejam Maria Sangrenta e a Mulher da Carona. A Maria Sangrenta é a moça do espelho, que dizendo três vezes seu nome ela aparece. Certamente ela tem uma aparência horrenda! Rsrsrs… Já a Mulher da Carona pega carona com alguém e simplesmente desaparece. Diz a lenda que foi atropelada na estrada.

Além dessas há muitas outras! Aqui no Brasil, uma das mais conhecidas é a da Loira do Banheiro, que não passa de uma versão da Maria Sangrenta, amenizada. Fonte
Como escrever uma lenda urbana
Como surge uma lenda urbana
Sequência didática
Lendas urbanas
A loira do banheiro
O homem do saco
Vovó Maria

Atividades


A loira do banheiro
resumida
Esta lenda urbana é muito famosa entre os alunos de escolas da rede pública na cidade de São Paulo.
 Diz a lenda que uma garota muito bonita de cabelos loiros com aproximadamente 15 anos, sempre planejava maneiras de matar aula. Uma delas era ficar no banheiro da escola esperando o tempo passar. No entanto um dia, um acidente terrível aconteceu. A loira escorregou no piso molhado do banheiro e bateu sua cabeça no chão. Ficou em coma e pouco tempo depois veio a falecer.
No fim de tudo isso, a menina não se conformou com seu fim trágico e prematuro, sua alma não quis descansar em paz e passou a assombrar os banheiros das escolas. Muitos alunos juram ter visto a famosa loira do banheiro, pálida e com algodão no nariz para evitar que o sangue escorra.
Turma da Mônica
A loira do banheiro
AQUI
O mais assustador do folclore

Luciana Garcia

O mais legal do folclore





Link para essa postagem


quinta-feira, agosto 17, 2017

O trânsito no mundinho 2 > Poema Bi,bi,fon,fon!> Projeto trânsito>17/08/2017

Já era tempo de os homenzinhos do mundinho criarem suas leis de trânsito.
Afinal, eles circulam para lá e para cá sem parar - É um tal de sair para fazer compras, levar e pegar as crianças na escola, ir à feira, passear com o animal de estimação.
Em 'O trânsito no mundinho', a autora Ingrid Biesemeyer Bellinghausen descreve de maneira lúdica, proporcionada também por suas ilustrações, dez leis de trânsito para que os pequenos leitores sejam cidadãos responsáveis e cuidadosos.

Resultado de imagem para livro o transito do mundinho atividades

Livro

Atividades

Poema Bi, bi, fon, fon!

poesia
Atividade
Aula: O segredo das placas
Aula
O que é trânsito
Projeto
 Conscientização e educação para o trânsito com fantoches
Música
O jipe do padre
Rodas no ônibus
Sequência didática

Aula sobre trânsito + História em quadrinhos

O trânsito no mundinho 1
AQUI





Link para essa postagem


quarta-feira, agosto 16, 2017

Onde canta o sabiá>Estímulos com imagens>Música e dicas>16/08/2017

Resultado de imagem para livro onde canta o sabiá  regina  renno atividades
O texto começa mostrando uma bela floresta e depois imagens de desmatamento. 
Com o corte das árvores, muitos pássaros migram para a cidade grande à procura de um canto para viver em paz.
 Mas os perigos na cidade cinzenta estão em todo lado: poluição, estilingue e, principalmente, armadilhas. O final mostra uma triste realidade.

Livros sem textos
Dicas Pedagógicas
 Desenvolvem o potencial de linguagem da criança, que transforma imagens em palavras. Tendo o adulto como mediador na atividade proporciona vários ganhos, como: 
* Vivenciar histórias de forma lúdica. 
* Desenvolver o gosto por livros e leitura. 
* Aumentar o próprio vocabulário. 
* Desenvolver a noção de narrativa (começo-meio-fim).
* Favorecer a organização de pensamento em frases e fatos 
* Usar a imaginação 
* Ter criatividade com a linguagem verbal. 
* Fazer inferências.
 Mas por que usar livros sem texto?
 Para explorar a linguagem. Porque é uma prévia da leitura convencional. 
A leitura escrita envolve a percepção de detalhes, a memória, a compreensão e principalmente as inferências (capacidade de prever um fato ou uma conseqüência devido a experiência adquirida).
Então, com livros sem texto usamos esses mesmos recursos para interpretar as figuras, principalmente se elas estiverem na seqüência de um contexto. 
Além disso, estaremos explorando a imaginação infantil tão dinâmica e criativa. 
Dicas para desenvolver a atividade: 
* Deixe espaço para que a criança possa criar. Não faça a história por ela. Não se preocupe com o tempo da atividade e sim com a qualidade. A atividade deve ser prazerosa. 
* Observe figura por figura. Analise-a. Comete sobre o período do dia, personagens e expressões faciais, local em que estão etc. 
* Induza a criança a ter inferências a partir das figuras. 
Ex.: O que será que vai acontecer? Por quê? 
* Analise as previsões que foram feitas. Elogie os acertos. Caso a criança não tenha acertado o contexto da figura seguinte, use frases do tipo: Quem diria, nós nem imaginamos isso, não é mesmo? Que surpresa !! 
* Explore detalhes diferentes: paisagem, roupas etc... 
* Antes de trabalhar a última figura, explore a conclusão. Relembre fatos relevantes para a criança a imaginar o tipo de final que a história terá. 
* Explore a “moral da história”.
 * Tente transferir os acontecimentos da história para a vida da criança.
 Ex.: O que você faria se fosse o “personagem”? ou...Você já viu um animal como este? Quando? * Incentive a criança a fazer uma narrativa com os detalhes enfatizados por vocês. Crie um título para a história, nomes pra os personagens.
 * Incentive a criança a recontar a história (sozinha) sem o auxílio do livro. Ela pode recontar para você ou para outras pessoas. Deixe-a folhear o livro novamente, se for necessário lembrar algum fato importante. 
* Se você quiser,  escreva a história inventada pela criança em formato de livro, coloque-a como autora. Ela vai adorar! Use a sua imaginação e faça esse momento interessante para você e para a criança!!!

Resultado de imagem para livro onde canta o sabiá  regina  renno atividades

Atividades
 A educação infantil através da ludicidade e da leitura do livro de imagens “Onde Canta o Sabiá”, pode refletir sobre as questões do desmatamento acelerado que causam danos irreparáveis ao nosso planeta, comprometendo a sobrevivência da fauna, da flora e da vida como um todo.
Continua AQUI
Música sabiá fugiu da gaiola + atividade

Nenhum texto alternativo automático disponível.



Primeiro transformei a cantiga: SABIÁ NA GAIOLA em uma história; para facilitar a compreensão.

Logo após passei o vídeo  AQUI  e propus que pintassem o sabiá para montarmos um painel.
Fonte: Professora do grupo facebook cantos e encantos infantis


Mais atividades
- Fazer a leitura das imagens, uma por uma, ouvindo a opinião dos alunos.
- Observar com a turma o diálogo entre as cores vibrantes e o cinza das fotos, e o que isso pode significar.

- Fazer um levantamento de canções tendo os pássaros como tema e cantar trechos com os alunos. Exemplo: ''Passaredo'', de Chico Buarque e Francis Hime.
- Conversar sobre o título, que é um verso do poema ''Canção do exílio'', de Gonçalves Dias.
- Propor a confecção de pássaros usando a técnica do origami ( como na capa) e depois a elaboração de um poema coletivo sobre o tema, ilustrando-o com os origamis.

Escrita coletiva






Link para essa postagem


O feitiço da birra>Caixa da raiva>Estímulos e sentimentos>16/08/2017



O que terá feito o infante Gonçalo para já ninguém querer brincar com ele? 
Uma história pedagógica que foca a importância da socialização, da cooperação e do saber conviver, apesar dos efeitos do terrível, e muito conhecido, feitiço da birra…

Trata-se de uma história que foca a importância da socialização, da aceitação dos outros e da tolerância entre crianças pequenas que frequentam um Jardim muito especial.

A Ação desenrola-se num castelo encantado (Jardim de Infância) cheio de príncipes e princesas de vários pontos do mundo, evidenciando a sua cultura, onde a descoberta é a palavra de ordem. 

Existe ainda uma fada (Educadora de Infância); uma madrinha (auxiliar ação educativa) e claro uma bruxinha que personifica as famosas…birras!

Mas porque será que o príncipe Gonçalo não quer partilhar as brincadeiras?

Como será que a fada irá quebrar o feitiço da birra?
Uma história que pode revelar-se um ótimo instrumento pedagógico para explicar a importância do saber brincar com os amiguinhos, e do saber respeitar as individualidades de cada um. 


Livro
Atividades


Atividade
Pintura secreta
Caixa de raiva

caixa-da-raiva-03
Controlando a raiva

Ficar com raiva não é ruim
Quando me sinto zangado




Link para essa postagem


Figuras geométricas,planas e espaciais> A festas das formas geométricas>Estímulos geométricos>16/08/2017


Foto:

Livro
Diálogo geométrico
Aula
Criando e recriando  com formas geométricas







Link para essa postagem


A baleia>Estímulos literários rimados>+Projeto fundo do mar>Jonas e a baleia>16/08/2017


https://s3-us-west-2.amazonaws.com/catalogo.ftd.com.br/files/uploads/13201158_resized_600x683.jpg

A baleia é a estrela desta história divertida para pequenos leitores. 
Em que lugar será o lar de uma baleia? Onde ela cabe? 
No balde não dá. Nem pensar em uma bacia. Talvez em uma piscina...
Com imaginação e humor, no texto e nas ilustrações, vamos encontrar o melhor lugar pra baleia ficar.

Um livro bem ilustrado, colorido.. gostoso de ver.
Com textos curtos e rimados também é muito fácil de ler... mas não é escrito em letras maiúsculas.
Com muita imaginação e humor o autor convida o leitor a encontrar o melhor lugar
para uma baleia morar.

"Você sabe 
que a baleia 
não cabe 
num balde

Garanto
que só conseguiria
com encanto."

É assim que começa o livro - dando opções de onde pode caber uma baleia:
num balde, numa bacia ou numa banheira ou numa piscina?
Num rio até que cabe, mas com mil pontes, ela cansaria de tantos desvios.

O melhor lugar mesmo para uma baleia, é no mar.
Seu salgado lar-doce-lar.

Um livro gostoso e fácil de ler.
Ideal para os pequenos que estão começando a ler.
Com textos curtos, eles não se cansam!
Fonte


Imagem relacionada

Atividades

Vamos cantar...

Aula/Projeto
A vida das baleias


Esta e atividades fundo do mar

Projeto fundo do mar

Jonas e a baleia
A baleia azul/cor azul
AQUI



Link para essa postagem


terça-feira, agosto 15, 2017

Vivinha a baleiazinha>Estímulos literários>Diversidade>15/08/2017

Vocês já viram gente diferente? 
Gente que não parece com ninguém? 
Vivinha, a baleiazinha era única. Não era cinza, nem branca, nem preta e branca. Era uma baleia estampada, “cheia de bolinhas, listrinhas, florezinhas...”. 
Por causa disso, nunca queria sair para brincar com as outras baleiazinhas. 
Vivia sozinha, triste, coitadinha.


O que ela não sabia é que o Polvo Valdemar estava preparando um filme sobre o fundo do mar. 
E para o papel principal ele queria alguém que chamasse a atenção, que não fosse um tipo comum, entendem? 

Uma das histórias mais delicadas da Ruth Rocha, Vivinha, a baleiazinha é, muito sutilmente, um libelo anti-bullying, um grito silencioso de afirmação das diferenças.



Livro
Atividades
Ela era toda estampada. Mas justamente por ser diferente, Vivinha foi vitoriosa. 
Depois de muita conversa sobre diversidade, foi solicitado a cada aluno um retalho de tecido trazido de casa. Então os alunos confeccionaram a Baleia Estampada, colando os seus retalhos e percebendo que assim como as pessoas todos os retalhos eram diferentes.
Vivinha, era uma baleiazinha que por ser diferente vivia triste e solitária.
 Todos caçoavam dela porque havia nascido diferente. Certo dia, tudo mudou com a chegada do Waldemar, um polvocineasta que queria fazer um filme sobre o fundo do mar. 
Todos os seres aparecerem em frente à sua câmera querendo ganhar o papel destaque.
Mas o cineasta queria alguém extraordinário, original. 
E quem é que ele viu passeando por ali? Vivinha uma baleiazinha muito charmosa e mais do que especial. Para a surpresa de todos, ela virou estrela de cinema, uma verdadeira super star e, desde então, passou a criar moda por onde passa. 
Ruth Rocha trata do respeito às diferenças com um texto simples e divertido que se incorpora, com muita harmonia, ao traço alegre da ilustradora Mariana Massarani. 
O livro traz ainda um encarte com divertidas brincadeiras para fazer depois de ler.



Ideia para fazer uma baleia de sucata
Imagem relacionada






Link para essa postagem


O sol azul>Música e conto>+Cor azul>Baleia azul>Estímulos literários>15/08/2017





Conto + atividades
 Conto de autoria da jornalista Liliane Prata bem interessante para   trabalhar em qualquer série do Ensino Fundamental I e na Educação Infantil. 
É curtinho e objetivo, abordando    a questão do respeito às diferenças e à diversidade humana, de uma forma inteligente e didática. 
 Pode ser trabalhado em Língua Portuguesa, Geografia (astronomia), Artes, as Cores etc. 

O sol azul
Atividades cor azul
AQUI
AQUI
AQUI
Música o peixinho azul
Resultado de imagem para plano de aula cor azul maternal

Cartazes todas as cores
Trabalhando as cores
AQUI

Chapeuzinho vermelho ensinando a cor azul
a vogal a e o número 1
AQUI

As formas geométricas e as cores
AQUI

A baleia azul

Proposta de trabalho
AQUI
Baleia
AQUI
AQUI
AQUI
Projeto

AQUI
AQUI



AQUI
AQUI

Imagem relacionada






Link para essa postagem


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios