BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORAS VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
SERIA MUITO BOM RECEBER PALAVRINHAS...
QUEM SABE SUGESTÕES,DEPOIMENTOS,ETC.
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2017
8 ANOS DE LITERATURA INFANTIL

sexta-feira, dezembro 30, 2011

Medos no contexto escolar> Suspense> 30/12/11

OS ALUNOS E SEUS MEDOS

NO CONTEXTO ESCOLAR

Co-autores: Fátima R. Naves Dias, Liliane dos Guimarães A. Nunes, Lucianna R. de Lima
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
1.Conhecer e discutir sobre os medos mais comuns na infância.
2.Identificar e discutir sobre os medos dos alunos presentes no contexto escolar, a fim de favorecer o aprendizado e a convivência grupal.
3.Estabelecer relações entre os próprios medos e os dos colegas, conscientizando-se deles.
4.Propor estratégias de ação para enfrentar e lidar com os medos no cotidiano escolar.
Duração das atividades
Três aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
É facilitador para o desenvolvimento da aula que os alunos tenham noções básicas de leitura, interpretação e escrita.
Que saibam fazer uso do dicionário para procurar os significados de palavras desconhecidas.
Estratégias e recursos da aula
Atividade 1:
Medos infantis mais comuns...
Como atividade de sensibilização para o tema, o professor deverá propor à turma a seguinte dinâmica: solicite aos alunos que se sentem em círculo, mantendo um espaço entre eles.
Cada aluno receberá várias fichas de quatro cores diferentes correspondentes às respostas que darão, à medida que o professor fizer as perguntas (as fichas poderão ser confeccionadas com papel colorido, E.V.A., tampas de garrafas pet ou de pasta dental, além de outros materiais disponíveis).
De acordo com cada pergunta feita pelo professor, os alunos deverão se posicionar de acordo com uma das seguintes respostas, colocando a ficha à sua frente:
SIM: FICHA VERMELHA
NÃO: FICHA AZUL
ÀS VEZES: FICHA VERDE
NÃO SEI: FICHA LARANJA
Sugestão de perguntas a serem feitas pelo professor:
Você tem medo de alguma coisa?
Você tem muitos medos?
Você sente algum medo na escola?
Você acha que os medos tendem a diminuir com a idade?
Você conta seus medos a amigos?
Alguém já lhe contou sobre os medos que tem?
Você tem um medo secreto?
 O medo pode ser bom?
O medo nos protege?
O medo pode nos prejudicar?
Você acredita que existe alguém que não sente medo?
Seus pais têm medo de alguma coisa?
Você conhece alguém que tenha medo de coisas que você não tem?
 Existem coisas que você tinha medo antes e não tem mais?
É possível aprender a não ter medo? Dentre outras.
Ao término da dinâmica, peça a quatro alunos que recolham as fichas correspondentes às respostas dadas pelos colegas.
Cada aluno ficará responsável por recolher as fichas de uma mesma cor e colocá-las separadamente em uma caixa ou saco plástico.
A partir da visualização das fichas, o professor abrirá espaço aos alunos para que digam o que sentiram e o que perceberam durante a atividade, inclusive destacando e discutindo as perguntas que mais chamaram a atenção da turma, bem como as respostas mais e menos frequentes.
Em seguida, convide os alunos para assistir ao vídeo “Entrevista com Ruth Rocha (fictícia). Trabalho de Literatura infanto-juvenil”, disponível no link

 (Destacar a parte referente à história “Quem tem medo de quê?” de Ruth Rocha e os depoimentos das crianças apresentados no vídeo).
Na sequência, incentive os alunos a expressar livremente sobre o que pensam a respeito de sentir medo, sobre os medos que já tiveram e outros que têm atualmente, podendo relacioná-los com os medos mencionados na história e com os depoimentos das crianças.
Prosseguindo, para ampliar os conhecimentos acerca dos medos infantis, exiba aos alunos o vídeo “Lilian Lerner Castro - Medos na Infância”, disponível no link

Após assistir ao vídeo, instigue os alunos a comentarem sobre as informações dadas pela psicóloga, podendo solicitar que se posicionem em relação a determinadas afirmações feitas por ela, tais como:
“Os medos são diferentes de acordo com a faixa etária”;
“Os medos são transitórios, vão desaparecendo com a idade”;
“Sob um determinado aspecto o medo é muito positivo”;
“O medo serve para nos proteger contra ameaças externas”;
“O medo exagerado pode prejudicar a vida social e acadêmica da criança”; dentre outras.
Professor, você poderá fazer outros esclarecimentos a respeito da diferença entre medo e fobia, tais como: O medo é um sentimento que constitui uma etapa normal do desenvolvimento humano e é inclusive considerado um elemento que protege a vida, sendo importante para nossa sobrevivência.
É uma reação emocional a um perigo real externo.
 Já a fobia é semelhante ao medo, mas nela existe um nível de ansiedade que interfere na vida cotidiana da pessoa, impondo limitações e comprometendo as suas relações sociais.
É um medo irracional, exagerado em relação a algo que não apresenta riscos iminentes.
Poderá ler mais sobre o assunto, acessando os sítios:

A diferença entre medo e fobia

Saiba a diferença entre medo e fobia; conheça as sete fobias mais comuns
Finalizando esta atividade, de forma divertida, solicite a colaboração de três alunos, para que leiam a história “Sobressaltos”, sendo que um deles assume o papel de narrador e os outros dois ficam responsáveis pelas falas correspondentes às duas pulgas amigas.
Para isto, poderão contar com a colaboração do professor de Língua Portuguesa, no sentido de aproveitar esta situação a fim de trabalhar o gênero narrativo, leitura, interpretação, entonação, dentre outros aspectos. Poderá ser distribuída uma cópia da história a cada aluno para que possam acompanhar a leitura.



Atividade 2
Medos no contexto escolar!
Inicie a atividade, lendo para os alunos a história “Quem tem medo de ridículo?”, de Ruth Rocha, acessando o link:

Sugestão de questões relativas à história para serem debatidas com a turma:
- Vocês concordam com a autora que “o medo mais terrível é de fazer papel muito ridículo no meio de toda gente”?
- Vocês já vivenciaram alguma situação parecida com as descritas na história? Como foi? Como se sentiram?
- Há situações na escola em que vocês se sentem “ridículos”? Quais são? Como costumam lidar com elas?
- Vocês se sentem aflitos, apavorados quando não sabem a “lição”, algum conteúdo escolar? Por quê?
Dando continuidade, apresente aos alunos o seguinte texto:

LILIBEL

Era uma vez uma garota chamada Lilibel.
E para começar a rimar, eu vou dizer
Que ela tinha olhos cor de mel.
Desenhar bem, pintar sem deixar vazar,
Cantar sem desafinar – nada disso ela fazia.
Seu horror eram as aulas de geometria.
Diziam que sua letra era um garrancho sem fim.
Às vezes, tinha nota vermelha no boletim.
Era uma menina comportada.
Alguns diziam que era muito calada.
Tinha medo de água, dos meninos e do professor de matemática.
Adorava a professora de português,
uma senhora muito simpática.

Professor, ao acessar o link:
  Orientações pedagógicas (p. 102), você encontrará o texto “Lilibel” na íntegra.

Após a leitura, solicite aos alunos que estabeleçam relações entre o texto "Lilibel" e a história “Quem tem medo de ridículo?”
Peça também que destaquem os medos de Lilibel em relação à escola e que pensem se eles têm ou já sentiram medos semelhantes aos dela.
Em seguida, pergunte à turma: Há outras situações vividas por vocês em sala de aula e em outros espaços da escola que causam medo?
Quais são elas?
As situações de medo no contexto escolar prejudicam a convivência do grupo e o aprendizado?
Prosseguindo, peça aos alunos que expressem por meio do desenho os medos que têm no contexto escolar.
Para a realização desta atividade, disponibilize folhas sulfite, canetas hidrocor, giz de cera, lápis de cor, tintas coloridas, pincéis, dentre outros.
Ao término do desenho, solicite a cada aluno que compartilhe com a turma a sua produção, explicitando o que lhe causa medo na escola.
Para que os alunos se sintam mais à vontade para falar sobre este assunto, é importante que se crie um ambiente de confiança e respeito entre o professor e os alunos.
A seguir, solicite à turma que estabeleça relações entre os próprios medos e os dos colegas, conscientizando-se deles.
Os medos mais citados por eles deverão ser registrados no caderno para consultas posteriores.
Discuta também se estes medos têm dificultado a convivência e a aprendizagem em sala de aula.
Dando continuidade, os alunos se organizarão em grupos.
Cada grupo deverá escolher e criar uma história relativa a um dos medos presentes no contexto escolar, dentre os que predominaram nos relatos feitos pelos alunos e registrados no caderno.
Dar um título e ilustrar a capa e cada parte da história.
Neste momento, poderão contar com a colaboração dos professores de Língua Portuguesa e de Educação Artística.
Professor, para exemplificar, geralmente na escola, os alunos apresentam medos em relação a: errar, tirar nota vermelha, ser reprovado, fazer provas, expor suas dúvidas ou ideias, ir ao quadro, ser excluído, ser diferente, receber apelidos pejorativos, ser punido, agressões físicas e verbais, dentre outros.
Para ler sobre este assunto, você poderá acessar os seguintes sítios:

O medo na criança

As crianças e seus medos

Falta diálogo e sobram punições

Por fim, cada grupo deverá apresentar a sua história para toda a turma, podendo utilizar recursos tais como leitura dramatizada, fantoches de vara, dentre outros.
Uma cópia de cada história poderá fazer parte do acervo da biblioteca da escola.
Os alunos ainda poderão contar com a colaboração do professor de informática para divulgá-las na Web.
Atividade 3
Enfrentando e “conversando” com os medos!
Comece este momento, apresentando aos alunos a imagem abaixo e perguntando se eles concordam ou não com a afirmação a seguir:



Após ouvir as opiniões dos alunos, exiba o quadrinho “Terror na noite”, disponível no link http://iguinho.ig.com.br/quadrinho_terror.html


Logo em seguida, apresente uma charada retirada do livro “O menino inesperado”, de Elisa Lucinda:
Um prenúncio de perigo, cuja presença pode fazer tremer.
Mas andar longe dele é perigo ainda maior. Quem será?
“Nunca existo
se alguém não me inventar!
Também não adianta
fingir que não é contigo
e me deixar pra lá.
Desse modo
vou te seguir
vou te impedir,
vou te prejudicar
além de te atazanar.
E como uma indesejável sombra
sempre te acompanhar.
Um dia você tem
que se virar
olhar pra mim
perguntar,
me ver indagar e ao mesmo tempo responder:
Eu sou o seu MEDO
pareço maior que você?
Você vai entender que ao me encarar
pode se curar
pode me desmanchar
posso desaparecer
pra você conhecer
minha melhor vantagem.
É que nessa hora
eu me transformo
no pai da coragem.”


Prosseguindo, discuta com os alunos os aspectos em comum entre a imagem, o quadrinho “Terror na noite” e a charada.
Se necessário, ajude-os a perceber que as três situações propõem enfrentar e conversar com os medos e que às vezes eles podem parecer maior e “mais feios” do que são na realidade, podendo tomar proporções exageradas, a ponto de prejudicar a vida das pessoas.
Além disso, poderá problematizar com as seguintes questões:
Ter coragem significa não ter medo?
Ser corajoso é enfrentar os próprios medos?
Para enriquecer esta discussão, convide os alunos para assistir e fazer comentários acerca dos vídeos abaixo, disponíveis nos links:

Enfrente seus medos

Medos

Dando continuidade, peça aos alunos que se organizem em grupos, sendo que cada grupo deverá ter a lista com os medos da turma, elaborada anteriormente.
Em relação a cada medo listado, deverão propor estratégias de ação para enfrentar e lidar melhor com eles no dia a dia, favorecendo também a aprendizagem e o convívio grupal em sala de aula e em outros espaços da escola.
Na sequência, os grupos socializam as propostas e a turma elabora uma única síntese dos medos e as possíveis estratégias de ação relacionadas a cada um deles, que deverá ser registrada no caderno.
Professor, contribua com a turma em relação a como lidar com os medos que têm no contexto escolar, utilizando algumas estratégias, tais como:
-Estabelecer com os alunos uma relação de segurança, confiança, compreensão e respeito pelos medos que eles manifestam;
-Dizer que é normal sentir medo e que todo mundo tem os seus - inclusive você;
- Ajudá-los a respeitar e valorizar as diferenças, a fim de evitar apelidos, xingamentos e gozações entre os alunos;
-Propor atividades de integração entre as crianças, evitando sentimentos de exclusão;
-Incentivar a turma a expor seus sentimentos em situações de medo, por meio de diferentes recursos que podem facilitar esta expressão: rodas de conversa, representações com o corpo, leitura de histórias, contos de fadas, poesias, poemas, trabalhos artísticos e outros.
É Importante ajudar os alunos a enfrentar os medos de forma gradativa e respeitosa.
Você poderá ler mais sobre o assunto, acessando os sitios:

Medos infantis: como lidar?

Sentir medo é normal!!!

Você tem medo do quê?


Comportamento (Neste sítio, há várias dicas de como ajudar as crianças a superar os seus medos e sugestões de textos e livros interessantes relacionados ao tema).
Para ampliar as propostas de ação sugeridas pela turma, o professor poderá solicitar aos alunos a seguinte tarefa de casa:
-Escolher um livro referente ao tema “Medo” dentre os sugeridos abaixo para ler e discutir em sala de aula. No dia combinado, os alunos deverão debater sobre as leituras que fizeram.
Em seguida, retomar a síntese relativa aos medos da turma, a fim de complementá-la com outras alternativas de ação para lidar com os medos que podem se adequar também ao contexto escolar.
Posteriormente, a síntese final poderá ser afixada no mural da sala de aula e reavaliada sempre que necessário.
Assim, para possibilitar um trabalho mais integrado, é importante que todos os professores da turma tenham conhecimento desta síntese final.

Sugestão de livros (Outros livros poderão ser sugeridos pelo professor e pelos alunos):
PRIETO, Heloísa (Org.). O livro dos medos. São Paulo: Cia das Letrinhas. 1. ed., 1998 (Há medo para todos os gostos. Falar sobre eles (ou ler) é sempre uma forma de torná-los um pouco mais mansos.
 Neste livro você vai encontrar nove histórias; cada uma conta sobre um medo de alguém e como ele foi vencido. Teve até uma autora que conversou com crianças e adultos e perguntou o que os assustava e o que eles faziam para espantar o medo).
FRANCO, Sérgio. Paúra – 20 coisas de que você morre de medo e como encarar todas elas. Ed. Matrix, 2010 (Professor, você encontrará comentários sobre o livro no sítio http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/08/15/diarinho4_0.asp )

Recursos Complementares
Professor, sugerimos abaixo alguns sítios de textos/vídeos sobre o assunto, para seu conhecimento ou para acrescentar à aula:
Medo Social: dilemas cotidianos

Contos de fadas ensinam as crianças a lidar com seus medos

 A desconstrução do medo de bruxa na literatura infantil contemporânea

Dra. R. Glashan -  Medos infantis mais comuns - Primeira Parte

Dra. R. Glashan - Medos infantis mais comuns - Segunda Parte

Medos infantis

 Como Vencer o Medo

Globo Repórter - Veja o que fazer com o medo infantil

 Quem tem medo de dizer não?

Jogo virtual: Formigões - Ai, que medo! Formigões estão querendo te pegar!

Livro sugerido:
RUTH, Rocha. Quem tem medo de quê? São Paulo: Editora Global.

Avaliação
A avaliação deverá ser contínua, processual e diagnóstica durante todo o desenvolvimento da aula: acompanhar e avaliar os alunos nas diferentes etapas do processo de aprendizagem, compreender as estratégias utilizadas por eles na construção do conhecimento e organizar formas de intervenção adequadas às reais necessidades dos alunos e que possibilitem avanços cognitivos.
Autoavaliação dos alunos (oral ou por escrito): Participação individual e grupal nos momentos da aula propostos pelo professor.
Avaliação dos alunos pelo professor:
Respeito aos momentos de fala e de escuta e às opiniões dos colegas.
Envolvimento e participação dos alunos nas atividades propostas.
Avaliar se os alunos conseguiram:
- discutir sobre os medos mais comuns na infância;
- identificar e expressar os medos presentes no contexto escolar, oralmente e por meio de desenhos; - estabelecer relações entre os próprios medos e os dos colegas;
- ler e interpretar textos e histórias sobre o tema;
- elaborar sínteses; propor estratégias de ação para enfrentar e lidar com os medos no cotidiano escolar.



Link para essa postagem


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e retornarei assim que for possível.
Obrigada pela visita e volte mais vezes!
Linguagem não se responsabilliza por ANÔNIMOS que aqui deixam suas mensagens com links duvidosos. Verifiquem a procedência do comentário!
Nosso idioma oficial é a LINGUA PORTUGUESA, atenção aos truques de virus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios