BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORAS VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
SERIA MUITO BOM RECEBER PALAVRINHAS...
QUEM SABE SUGESTÕES,DEPOIMENTOS,ETC.
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2017
8 ANOS DE LITERATURA INFANTIL

quinta-feira, agosto 04, 2011

Lendas> Galinha D'Angola> Literatura> 04/08/11


Textos enciclopédicos e lendas:
 conhecendo a cultura africana

Autor: Fernanda M.Simões
Co-autor: Clenice Griffo
Ao final dessas atividades, esperamos que o aluno:
■Compreenda as características centrais do gêneros: textos enciclopédicos e lendas.
■Construa a compreensão global dos textos lidos.
■Planeje, revise e corrija a própria escrita considerando o tema central e possíveis desdobramentos.
Duração das atividades: As atividades terão duração de 05 a 06 aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno:
Para o desenvolvimento dessa sequência didática, os alunos deverão ter se apropriado do sistema alfabético, ou seja, ter compreendido que cada grafema (letra), geralmente, corresponde a um fonema (som).
As crianças que ainda não construíram esse conhecimento poderão ser auxiliadas por aquelas que já o dominam.
Estratégias e recursos da aula
ATIVIDADE 1: HISTÓRIAS AFRICANAS
Objetivos:
■Compreender a história “Bruna e a Galinha D’angola”
■Conhecer e definir o gênero textual “lenda”
1.1 Bruna e a Galinha D’angola
Explique às crianças que muitos brasileiros são descendentes de povos africanos, trazidos para o Brasil na época da escravidão.
Por isso, é muito importante conhecer um pouco mais sobre esse continente.
 Uma boa forma de isso acontecer é por meio da escuta de histórias e lendas africanas.
Convide os alunos a conhecerem a história “Bruna e a Galinha D’angola” que relata uma lenda africana sobre a origem do mundo.


Antes de iniciar o vídeo, explore a capa da história por meio das perguntas:
■Qual o nome do livro, da autora e da ilustradora?
■Que ilustração a capa nos apresenta?
■Que história será contada? (Registre as hipóteses dos aprendizes no quadro)
Inicie o vídeo e combine com as crianças de interrompê-lo em um dado momento.
Elas deverão dar sugestões sobre o próximo conteúdo da história.
Sugerimos, por exemplo, que você interrompa a exibição no momento em que Bruna inicia a fabricação de galinhas de barro.
Faça, então, a pergunta:
■E agora, será que Bruna irá fazer mais amizades? Por que?
Além disso, você poderá interromper o vídeo no momento em que as meninas encontram o baú da avó e, em seguida, questionar:
■O que será que tem no baú?
Ao final, as crianças deverão verificar se suas hipóteses se confirmaram.
 Incentive-as a recontarem a história oralmente e dizerem se gostaram dela, justificando suas respostas.
Se necessário, coloque o vídeo novamente.
1.2 Trabalhando a lenda
a) Reconto oral da lenda.
Retome a história “Bruna e a Galinha D’angola” e peça aos alunos que relembrem a lenda africana contada pela avó sobre a origem do mundo.
 Se necessário, passe essa parte do vídeo novamente.
Caso a escola tenha disponível, reconte a lenda por meio da leitura do livro infantil.
Explique às crianças que é possível conhecer a história por meio dessas duas formas de comunicação: a internet e o livro.
b) Reconto da lenda por meio de ilustrações
Divida uma folha em quatro partes e peça aos aprendizes que ilustrem a lenda africana sobre a origem do mundo.
Eles também deverão elaborar um título para ela e escrevê-lo na parte superior da folha.
Assim, será possível verificar a compreensão que construíram em relação ao texto.
Ao final, fixe os trabalhos no mural da sala.
c) O que é uma lenda?
Leia para os alunos a definição do gênero textual “lenda”, elaborada pelo autor Sérgio Roberto Costa (2008):
História cheia de mistério e fantasia que nasceu com o objetivo de explicar acontecimentos que teriam causas não conhecidas. Normalmente, o autor da lenda é desconhecido e ela é passada de geração em geração.
Em seguida, pergunte se a história lida se enquadra nesse gênero textual.
O debate pode ser orientado pelo preenchimento da ficha abaixo.
Explique à turma que uma lenda deverá possuir as características apresentadas na tabela:
QUESTÕES                                                                      SIM      NÃO
A História pretende explicar algo desconhecido?
Conhecemos o nome do autor da história?
Ao que parece, a história foi passada de geração em geração?
Durante a atividade, deixe escrito no quadro a definição do gênero “lenda”, lida anteriormente, e oriente os aprendizes a relacionarem as questões da tabela à caracterização do gênero.
Ao final, a turma deverá concluir se a história lida é uma lenda.
1.3 Reescrita da lenda
Agora que os aprendizes já conhecem a lenda, proponha-lhes o exercício de reescreverem o texto com suas palavras.
Deverão se preocupar em manter o sentido original da história.
As crianças que ainda não dominam o sistema de escrita deverão fazer a atividade com colegas que possam ajudá-las .
Para a produção do texto, sugerimos os procedimentos:
a) Planejamento coletivo do texto.
Peça aos alunos que levantem os principais pontos que deverão ser abordados no texto e registre-os em um canto do quadro.
b) Escrita em duplas.
Os alunos deverão escrever a lenda observando o planejamento feito.
c) Correção feita pela professora.
A professora poderá corrigir o texto, utilizando os seguintes códigos:
■Círculo: Nos locais em que a história está incompleta
■Traço: Em palavras escritas de forma emendada.
■Cruz: Em palavras ortograficamente incorretas
d) Devolução e nova escrita do texto.
No momento da correção, a professora poderá explicar os códigos utilizados e ficar disponível para atender as dúvidas dos alunos.
Se necessário, é importantes atendê-los individualmente, enquanto os demais realizam outra atividade.
Obs: O texto deverá ser guardado.
Ele será usado na atividade 3.
ATIVIDADE 2: CONHECENDO MAIS SOBRE O CONTINENTE AFRICANO
Objetivos:
■Identificar informações no texto e relacioná-las.
■Realizar inferências
■Pesquisar informações no texto
2.1 Levantamento dos conhecimentos prévios.
Leve as crianças para a sala de informática e apresente o mapa mundi.
Em seguida, faça as seguintes questões
■Onde fica localizada a África?
■Ao que parece, esse continente é composto por muitos países?
■O que vocês sabem ou já ouviram falar sobre a África?
(Registre em seu caderno pessoal as respostas das crianças.)
2.2 Atividades de leitura.
Sugerimos que você trabalhe cada texto em dias alternados.
A turma pode ler e discutir os textos e, em duplas, responder as perguntas.
 Em seguida, é só fazer a correção coletivamente.
A ÁFRICA
A África é o terceiro maior continente, ficando atrás da Ásia e da América e o segundo mais populoso, com cerca de 900 milhões de habitantes.
É o continente mais pobre de todos, sendo que a maioria dos países foi dominada durante muitos anos pela Europa. Pelo menos 21 países estão entre os 30 mais pobres do mundo.
Porém, existem alguns com condições de vida melhores, como a África do Sul.
Ela esteve bastante presente na mídia no ano de 2010 graças a Copa do Mundo sediada neste país.
Alguns países foram dominados por Portugal e, por isso, usam o português como língua oficial, assim como nós.
São eles: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.
Para compreensão do texto, sugerimos as seguintes questões:
a) Questões que demandam a habilidade de identificar informações no texto:
■Quantos habitantes têm a África?
■Que países da África usam o português como língua oficial?
b) Questões que demandam a habilidade de relacionar informações:
■Por que a África é considerada um continente populoso?
■Quais as condições de vida da maioria da população africana?
c) Questões que demandam a habilidade de realizar inferências e de extrapolar o texto:
■Para o autor do texto, o que contribuiu para que a África se tornasse um continente pobre?
■O que o texto quer dizer quando afirma que países da África foram dominados por países europeus?
SAARA
O Deserto do Saara se estende por diversos países da África.
É o mais extenso deserto da terra, cobrindo uma área de 7 milhões e 780 mil quilômetros quadrados.
 Tem o solo árido e um clima predominantemente desértico: a maior temperatura já registrada foi de 58 graus .
Por isso, os aninais que vivem nessa região desenvolveram várias formas de sobreviver.
O dromedário, por exemplo, pode ficar até 16 dias sem beber água. Mas, quando ele encontra uma fonte, engole 100 litros em apenas 10 minutos.
Além disso, ele perde pouca água pela urina e pelo suor.
Para compreensão do texto, sugerimos as seguintes questões:
a) Questões que demandam a localização de informações:
■Qual a área do deserto do Saara?
■Qual a maior temperatura já registrada nessa região?
b) Questões que demandam a habilidade de relacionar informações:
■Por que o dromedário consegue sobreviver no deserto do Saara?
c) Questões que demandam a habilidade de realizar inferências e de extrapolar o texto:
■Segundo o texto, o que é preciso para que um animal sobreviva no deserto?
■Os pelos que aparecem na corcova do dromedário o ajudam em sua sobrevivência no deserto. Qual deve ser a sua função?
MOÇAMBIQUE
Moçambique é um país da África e foi dominado durante muitos anos por Portugal.
Tornou-se independente em 1975.
Hoje, pequena parcela da população tem acesso à energia elétrica e um grupo ainda menor à televisão.
Essa elite assiste, além da programação local, a programação integral da TV Record e as três novelas da rede Globo, incluindo Malhação.
Por isso, muitos moçambicanos seguem os costumes, a moda, e a maneira de falar dos brasileiros.
Apesar disso, enquanto aqui no Brasil o corpo magro que é considerado bonito, nesse país, em que muitas pessoas ainda passam fome e não têm energia elétrica, nem televisão , estar acima do peso é sinal de riqueza, beleza e fartura.
Para a compreensão do texto, sugerimos as seguintes questões:
a) Questões que demandam a localização de informações:
■Moçambique foi dominada por qual país?
■Quando Moçambique se tornou independente?
b) Questões que demandam a habilidade de relacionar informações:
■ Por que muitos moçambicanos seguem os costumes dos brasileiros?
■Por que em Moçambique a pessoa é considerada bonita quando está mais “gordinha”?
c)Questões que demandam a habilidade de realizar inferências (ler o texto nas entrelinhas):
■De acordo com o texto, existe só um tipo de pessoa bonita? Por que?
2.2 Jogo: “Fui à África e vi”
Para os alunos se divertirem e conhecerem um pouco mais sobre a fauna africana, proponha-lhes o jogo: “Fui à África e vi” , localizado no site: http://www.futura.org.br/acordacultura/data/documents/storedDocuments/{3C1992DE-D6D9-409B-B257-8C78C9B57D7A}/{88B40AA2-D97E-4491-9B33-873AE74D9C78}/africa.swf  
Caso os estudantes queiram conhecer um pouco mais os animais da África, poderão fazer uma pesquisa sobre suas características.
Primeiramente, peça que levantem as informações que gostariam de saber e registre as questões no quadro.
Dependendo do perfil da turma, a pesquisa poderá ocorrer de três formas:
■Pesquisa na internet.
 Os alunos pesquisarão as questões levantadas e copiarão as informações no caderno.
Sugerimos os sites:
■Pesquisa em enciclopédias.
 Sugerimos que você divida a sala em duplas e peça a cada uma que pesquise um animal, selecionado por você.
Os alunos deverão procurar responder as questões que levantaram e registrar no caderno suas conclusões.
■Pesquisa em textos preparados por você.
Prepare textos informativos sobre esses animais e questões que demandam a habilidade de identificar informações, relacioná-las e realizar inferências.
3. DIVULGANDO O QUE APRENDEMOS
Objetivos:
■Sistematizar os conhecimentos aprendidos
■Usar a fala em uma situação formal.
3.1 Apresentação da lenda
Peça aos alunos que apresentem a lenda aos familiares, em uma reunião.
Para isso, eles podem ensaiar a leitura do texto que elaboraram na atividade 1.
Deverão prestar atenção nos seguintes pontos:
■Ler junto com a dupla.
■Ter um tom de voz e uma entonação adequada.
Durante o ensaio, você poderá convidar alguns estudantes da escola para sua apreciação.
Eles deverão avaliar a apresentação, tendo como base os itens levantados acima.
3.2 Mural: “Você sabia...”
Proponha às crianças a elaboração de um mural com algumas curiosidades que aprenderam sobre a África. Retome os textos lidos na atividade 2 e peça aos alunos que digam o que aprenderam.
Faça o registro no quadro, em forma de itens.
Em seguida, divida a sala em duplas e distribua uma folha de ofício.
Cada uma deverá ficar responsável pela escrita de um aprendizado.
Como os trabalhos serão colados no mural da escola, os aprendizes deverão prestar atenção nos seguintes pontos:
■Escrita legível.
■Letra grande (se preciso, entregue a folha já pautada.)
■Caso haja ilustração, ela deve completar as informações do texto. Ao final, é só organizar o mural.
Recursos Complementares:
Sugerimos a leitura dos artigos contidos no site: http://www.acordacultura.org.br/artigos
Avaliação:
Para verificar se os alunos aprenderam a identificar uma lenda, sugerimos que você leia dois textos de gêneros diferentes e peça que apontem qual deles é a lenda.
Em seguida, para avaliar a produção de texto dos aprendizes, solicite que reescrevam a referida lenda.
Você também poderá selecionar um texto enciclopédico e pedir aos aprendizes que respondam questões que visam identificar, relacionar informações e realizar inferências.




Atividades referentes à galinha

1- Fazer um painel, compondo galinhas usando as mãos como carimbo para conseguir a forma desejada.O trabalho com artes plásticas na pré-escola proporciona à criança criar com diferentes suportes e materiais.
Utilizando o próprio corpo para fazer arte, as crianças aprendem que é possível utilizar formas diferentes de linguagens para recontar uma história.



2- Colagem em prato de aniversário ou papelão, papéis de presente ou e.v.a.


3- A Galinha D'angola
Toquinho
Coitada, coitadinha
Da galinha-d'angola.
Não anda ultimamente
R egulando da bola.
Ela vende confusão e compra briga.
Gosta muito de fofoca e adora intriga.
Fala tanto que parece que engoliu uma matraca,
E vive reclamando que está fraca.
Tou fraca! Tou fraca!
Tou fraca! Tou fraca! Tou fraca!
Coitada, coitadinha
Da galinha-d'angola.
Não anda ultimamente
Regulando da bola.
Come tanto até ter dor de barriga.
Ela é uma bagunceira de uma figa.
Quando choca, cororoca, come milho e come caca,
E vive reclamando que está fraca.
Tou fraca! Tou fraca! Tou fraca!

4- A Lenda Da Galinha D'Angola
 Autor: Tata riá Nkissi Nkassuté
Numa certa manhã, vinha de cabeça baixa e muito triste uma Kerere, lamentando-se «estou fraca, estou fraca, estou fraca!».
Resolveu saciar a sede num riacho.
Lá deparou-se com uma linda mulher que se banhava e coquete como só ela sabia começou a pintar-se.
Kerere quando viu aquilo admirou-se: era Dandalunda, aquela que dá brilho às jóias e se banha e pinta antes mesmo de cuidar dos filhos...
Dandalunda quando percebeu a tristeza daquela ave perguntou-lhe:- Porque é essa tristeza Kerere?
Kerere respondeu-lhe:- Entre os meus pares eu sou a mais feia!
Naquela época Kerere era toda preta...
Dandalunda então pediu para Kerer se aproximar.
Ela pegou em osum e pintou o seu bico; depois com osum vermelho os brincos.
Depois com waji tornou as penas azul escuro e com efum fez as pinturas brancas.
E continuou a pintar Kerere.
Esta ao ver a sua imagem no abebé de Dandalunda saiu correndo de tanta felicidade cantando "Kuéim, kuéim, kuéim".
Dandalunda que ainda não tinha terminado de pintar Kerere pediu a Kakulu, divindade dos gémeos para que corresse a trás de Kerere e a trouxesse de volta pois não tinha pintado o seu peito.
Kerere lá voltou e pediu para que Dandalunda ao invés de pintar o peito lhe desse um colar.
Dandalunda fez-lhe a vontade e ofereceu-lhe um colar em forma de coroa que Kerere carrega até hoje... e entre os seus pares é a mais linda de todas...
Tempos depois Kerere voltou e tornou-se o primeiro ser que "tomou" obrigações por aquela que é capaz de modificar todos com a sua doce magia encantada.
Kerere, o primeiro ser raspado, adornado e pintado por Dandalunda... e é por este motivo que quando um Kerer é sacrificado temos que tirar este colar em forma de coroa e coloca-lo em evidência!
.... Kerere é também conhecida por Konquem, "Tô" fraco, E tu ou Galinha de Angola


5- Leitura Informativa / Gênero literário
A capota ou galinha-d'angola (Numida meleagris) é uma ave da ordem dos galliformes, é originária de África mas espalhada por muitos países do mundo inteiro sendo os Portugueses os principais responsáveis pela sua difusão.
Em relação às características físicas, encontram-se três tipos.
A mais comum é a pedrês-cinza com bolinhas brancas.
Existem ainda as inteiramente brancas ou albinas.
Com cerca de três meses, o macho já apresenta uma crista pronunciada para a frente, como um chifre; na fêmea, essa crista é mais arredondada.
Algumas apresentam ornamentos de penas alongadas no peito.
A espora está presente nos machos adultos.
 Possuem bicos curtos e fortes, próprios para ciscar.
As aves ficam nervosas facilmente, sendo extremamente agitadas.
Vivem em bandos, locomovem-se em bandos e precisam do bando para se reproduzir, pois só assim sentem estímulo para o acasalamento.
E, como grupo, são organizadas.
 Cada um tem seu líder, o que é fácil de constatar no momento em que se alimentam: o líder vigia enquanto os outros comem, e só depois de verificar que está tudo em ordem é que começa a comer.
São aves rústicas e fáceis de criar, excepto num ponto: deixadas soltas, escondem os ninhos com o requinte de por os ovos em camadas e ainda cobertos por palha ou outro material disponível.
As galinhas d'Angola não são boas mães, fazem posturas conjuntas, ninhadas de até 40 ovos, dispostos em camadas, desta forma somente os ovos de cima recebem o calor da ave e descascam. São inquietas, arrastam os pintos para as linhas de água, podendo comprometer a sua sobrevivência.
Na hora do acasalamento a iniciativa é da fêmea.
 O período de Abril a Agosto (intervalo entre posturas) é aquele em que as aves estão mais sociáveis, vivendo em grandes grupos, e é também a época da troca de penas.
No final dessa fase, vão escolhendo seus pares (duas fêmeas para um macho) e acontecem os acasalamentos.
O período principal de postura vai de Setembro a Março, com uma média de setenta a oitenta ovos por cada fêmea.
 Fonte:




Link para essa postagem


3 comentários:

Deixe seu comentário e retornarei assim que for possível.
Obrigada pela visita e volte mais vezes!
Linguagem não se responsabilliza por ANÔNIMOS que aqui deixam suas mensagens com links duvidosos. Verifiquem a procedência do comentário!
Nosso idioma oficial é a LINGUA PORTUGUESA, atenção aos truques de virus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios