BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORAS VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
SERIA MUITO BOM RECEBER PALAVRINHAS...
QUEM SABE SUGESTÕES,DEPOIMENTOS,ETC.
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2017
8 ANOS DE LITERATURA INFANTIL

domingo, agosto 12, 2012

Anita Malfatti> Pintores e Afins> 12/08/12


Pinceladas que fizeram história

Conheça Anita Malfatti, que renovou o jeito brasileiro de pintar
Ela começou a fazer quadros incentivada pela mãe, que dava aulas de pintura e desenho.
Apesar de ter nascido com a mão e o braço direitos atrofiados, encontrou um jeito de usar com desenvoltura os pincéis.
Com isso, se tornou uma das mais importantes pintoras brasileiras.
Anita Malfatti trouxe para o nosso país um jeito novo de pintar, rompendo com as regras que vigoravam para as artes.
Venha conhecer essa artista que nasceu há 120 anos e esteve sempre a frente do seu tempo!



 
  Pintora em formação

“Anita Malfatti trouxe para o Brasil o expressionismo, um movimento artístico que, como o próprio nome diz, procura expressar o que o artista sente diante do que está pintando”, conta Luzia Portinari, curadora de uma exposição em cartaz no Rio de Janeiro que apresenta a vida e a obra da pintora: Anita Malfatti 120 anos.
Foi na Alemanha, terra natal de sua mãe, que a brasileira descobriu o expressionismo.
 Anita tinha ido estudar pintura por lá em 1910 para se tornar professora. “Na época, as possibilidades dadas à mulher eram reduzidas e os trabalhos manuais faziam parte da sua educação.
Porém, o intuito não era torná-las artistas”, explica Luzia.
No ano anterior à sua partida, aos 20 anos, a brasileira havia pintado seu primeiro quadro: Burrinho correndo, imagem que copiou de uma revista a pedido do irmão.



No quadro 'A boba', Anita Malfatti reuniu praticamente todas as características da pintura expressionista, como as pinceladas bruscas, despreocupadas com os detalhes e mais atentas à expressão.
Exposta em 1917, é uma de suas obras mais famosas.
A escola onde Anita estudou era uma das únicas na Alemanha que as mulheres podiam frequentar.
Ali ela conheceu o professor Lovis Corith, que se tornou uma de suas grandes influências e a ensinou a pintar com tinta a óleo.
Para fazer seus quadros, Anita usava a mão esquerda, com a qual também escrevia.
A artista havia aprendido, na infância, a desenvolver os movimentos dessa parte do corpo, o que a ajudou a superar as limitações impostas pela atrofia de sua mão e seu braço direitos.
Com o início da Primeira Guerra Mundial na Europa, Anita voltou, em 1914, ao Brasil, onde fez uma exposição, sem grande sucesso.
Sua família decidiu, então, mandá-la estudar nos Estados Unidos.
O que eles não imaginavam é que havia sido para lá que muitos artistas, fugindo da guerra, decidiram ir.
No contato com esse novo mundo, a arte de Anita e, posteriormente, a própria brasileira mudariam por completo.

Tempo de ousar
A vida nos Estados Unidos era diferente de tudo o que Anita já tinha visto: a mulher era mais respeitada, além de ser comum ver artistas de diferentes áreas trocando ideias.
Mas foi com um professor que Anita encontrou o que faltava para desenvolver sua arte: “Homer Doss deixava cada um fazer o que bem entendesse.
Dava liberdade aos artistas”, conta Luzia Portinari.
 “Esse foi o período mais feliz da vida de Anita.”



Anita Malfatti pintou 'O farol' quando ainda estudava nos Estados Unidos.
Seu professor, Homer Boss, costumava levar os alunos a uma ilha, no norte do país, onde havia este farol, que chegou a ser retratado por outros pintores.
De fato, ao retornar ao Brasil em 1917, Anita viveu momentos difíceis.
Foi muito mal recebida pela família, que não esperava vê-la regressar como artista.
Na exposição que organizou para mostrar seus quadros, também recebeu críticas severas do escritor Monteiro Lobato, um dos que eram contra o estilo novo que trazia.
Mas houve também quem estivesse ao seu lado.
Eram artistas, como Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral, que buscavam romper com o modo de fazer arte que vigorava na época, repleto de regras, que exigia precisão, sem espaço para a liberdade e a experimentação.
Com alguns deles, na chamada Semana de Arte Moderna de 1922, Anita expôs as obras expressionistas que pintou na Alemanha e nos Estados Unidos.
“Seu trabalho marcaria o início de um movimento que modernizaria a arte no Brasil”, conta Luzia Portinari.



A arte popular do Brasil já estava presente há quase dez anos em sua obra, quando Anita Malfatti pintou 'O batizado', em 1940.
Neste quadro, ela explora as cores e as atividades da vida no interior.
Apesar disso, Anita Malfatti logo deixou o expressionismo de lado.
A partir da década de 1930, após uma temporada na França, ela passou a retratar o que chamava de arte popular brasileira.
 E foi a esse assunto que se dedicou até o fim da vida, em 1964.
Nessa fase, quando tomou a liberdade de pintar a seu modo, suas pinceladas dedicaram-se às festas populares do interior do Brasil, brincadeiras de rua e, veja só, a crianças como você!
Carolina Drago
Instituto Ciência Hoje/RJ

http://chc.cienciahoje.uol.com.br/pinceladas-que-fizeram-historia/



Link para essa postagem


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e retornarei assim que for possível.
Obrigada pela visita e volte mais vezes!
Linguagem não se responsabilliza por ANÔNIMOS que aqui deixam suas mensagens com links duvidosos. Verifiquem a procedência do comentário!
Nosso idioma oficial é a LINGUA PORTUGUESA, atenção aos truques de virus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios