BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORAS VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
SERIA MUITO BOM RECEBER PALAVRINHAS...
QUEM SABE SUGESTÕES,DEPOIMENTOS,ETC.
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2017
8 ANOS DE LITERATURA INFANTIL

sábado, maio 21, 2011

Sala ambiente - Língua Portuguesa - 21/05/11

SUGESTÃO
Sala ambiente - Língua Portuguesa

Índice:
 Que espaço é esse?
 Que materiais devem fazer parte do ambiente?
 Que organização dar ao material?
 A função dos materiais na sala-ambiente:
- Os diversos textos
- Por que letras soltas?
- A sala-ambiente como espaço para o jogo
- Os fantoches, as fantasias e o jogo dramático
- O papel da sucata na sala-ambiente
- A videoteca na sala-ambiente
 O uso simultâneo dos materiais
 O uso dos materiais na sala-ambiente através de projetos :
- Clube de Leitura
- Oficina de leitura e escrita: trabalhando com narrativas
- Projeto: Campanha para uma comunidade sadia

Que espaço é esse?
A sala-ambiente de língua portuguesa deve ser um espaço previamente preparado e organizado para que a leitura e a escrita possam acontecer de forma significativa, ou seja, o trabalho com a língua materna deve garantir a função social do texto.
Assim como o aluno aprende as regras da língua falada a partir dos diferentes padrões de fala que ouve em seu meio, ele também necessita de muitos e variados exemplos de como a estrutura da língua funciona, para que possa apreendê-la.
O professor poderá transformar a sala-ambiente em oficinas de leitura ou de produção de textos, a fim de desenvolver com os alunos as atividades de linguagem (falar/ouvir/ler/escrever), as atividades de operação e reflexão sobre a linguagem (interpretar/construir/organizar/estruturar) e as atividades de metalinguagem (conhecimento que constrói a teoria gramatical).
O espaço reservado à sala-ambiente para desenvolver os conhecimentos sobre a leitura e a escrita deve ser prazeroso e acolhedor, visualmente estimulante, o que constitui condição para a motivação do aluno, facilitando, assim, a apropriação do conhecimento.
Essa apropriação se dá na interação do aprendiz com seus parceiros e com os textos, jogos ou outros materiais.
Portanto, ao organizar o espaço da sala, é importante que o professor considere a necessidade de criar um ambiente favorável às interações entre os alunos.
Que materiais devem fazer parte do ambiente?
A sala-ambiente deve ter uma ampla variedade de materiais de leitura:
Textos de literatura infantil ou infanto-juvenil, literatura clássica, Obras Ficcionais e Não-Ficcionais, poemas, jornais, revistas, (Veja, Superinteressante e outras) gibis, panfletos, dicionários, guias, atlas, cartazes, quadro de avisos, murais, mapas históricos e geográficos.
Além desses, os jogos estruturados e os confeccionados pelos alunos e professores, filmes, vídeo, TV, slides, aparelho de som, CDs com diversos tipos de músicas, fantasias ou vestuários e adereços para a caracterização de personagens, fantoches de mão e de dedos, máscaras, etc.

Que organização dar ao material?
O material pode ser organizado por gênero ou assunto, ficando acessível aos alunos, de maneira que possam manuseá-lo e lê-lo sempre que sentirem necessidade, assim como durante horário destinado à leitura, escrita e aos jogos.
 Sugere-se que o professor monte canto do jornal, dos gibis, das revistas, dos livros de literatura, dos filmes, dos CDs, das fantasias, das sucatas, dos textos elaborados pelos alunos, das gravuras e, também, reserve um espaço na parede para o mural.
O professor deve proporcionar acesso fácil, por parte dos alunos, a uma ampla variedade de materiais adequados a seus interesses e necessidades.
As regras para uso dos materiais devem ser combinadas com os alunos (os jogos, revistas, gibis e outros), cuidando-se para que o ambiente fique agradável e atenda aos seus propósitos.
Há, também, o espaço dos demais recursos didáticos: papéis da diferentes tamanhos (cartolinas, sulfite), lápis pretos apontados, pastas, canetinhas coloridas, distribuídos em latas ou prateleiras em lugares acessíveis, de modo que os alunos possam fazer uso deles de forma independente. Esse material organizado na sala facilita o trabalho do grupo-classe.
Por exemplo, o uso de pastas para arquivar os textos de autoria dos alunos; o uso de cartolina e de canetas coloridas para elaborar um cartaz com um texto propagandístico, divulgando um evento que irá acontecer na escola.
 É importante afirmar que essa preocupação deve ser comum na sala das séries iniciais, mas cabe dizer que a sala-ambiente da 5a série em diante também deve possuir esse material organizado, uma vez que os jovens também sentem o prazer por novos materiais e por diversos instrumentos de escrita.

A função dos materiais na sala-ambiente
Os diversos textos
Os livros de literatura historicamente têm o seu lugar de destaque na sala de aula, pois possibilitam uma melhor compreensão do mundo, dos valores sociais e culturais da sociedade.
Através da leitura de contos, histórias, lendas, poesias, o aluno tem acesso a diferentes mundos, idéias, conhecimentos, dando asas à imaginação e à criatividade.
A leitura e a interpretação de diversos textos, como notícias, propagandas, panfletos, história em quadrinhos, mapas históricos e geográficos, possibilita ao aluno obter informações de mundo e assim desenvolver a sua competência de leitor.
Para isso, é preciso que o aluno compreenda e compare não só as interpretações que o texto possibilita, mas também os recursos expressivos utilizados pelo autor e a organização dos diferentes tipos de textos.
A presença dos livros de literatura, dos jornais, das revistas e outros, deve ser garantida na sala-ambiente, a fim de possibilitar o trabalho com a diversidade de textos.
 Nesse sentido, as expectativas, os conhecimentos e as experiências anteriores sobre a leitura e a escrita refletem-se na maneira pela qual o indivíduo interage com os diferentes tipos de textos.

Por que letras soltas?
A criança ao manipular as letras soltas, reconhece as semelhanças e ao mesmo tempo em que, vai aprendendo a nomeá-las, vai estabelecendo relações de correspondência entre sons e letras e percebendo a ordem das letras na palavra.
Pode-se propor aos alunos, organizados em duplas, a escrita de listas de palavras contextualizadas, títulos de histórias lidas pelo professor e atividades que enfatizem o diferente número de letras nas palavras, o diferente número de palavras no texto, a letra inicial, etc.
Estas são situações que propiciarão a evolução da escrita.
O alfabeto de plástico indicado para fazer parte dos materiais na sala-ambiente das séries iniciais, possibilita criar situações nas quais, com base no que conhecem, as crianças atinjam patamares próprios de compreensão do sistema de base alfabética.

A sala-ambiente como espaço para o jogo
O jogo presta-se às atividades não só de linguagem (falar/ouvir/ler/escrever), mas também para refletir sobre a escrita convencional.
Nesse sentido, o uso de palavras cruzadas permite que os alunos teçam novas combinações entre as letras, discutam possibilidades e interajam para somar conhecimentos e alcançar resultados pretendidos.
Esse jogo dá a oportunidade de explorar as palavras: contar as letras, analisá-las, fazer análise fonética, brincar com a sonoridade, com a ordem, com a semântica.
É importante ressaltar que a ortografia é um desafio que se coloca permanentemente para as crianças que já se apropriaram do modo como se constrói a escrita alfabética.
Além de possibilitar às crianças a explicitação das diferenças entre língua falada e língua escrita, a explicação de algumas regras ortográficas, o desenvolvimento do jogo, palavras cruzadas, auxiliam na compreensão e memorização das diversidades encontradas na língua materna.
O uso do bingo de letras, principalmente nas primeiras séries  leva à compreensão do sistema de base alfabética, pois com ele os alunos podem refletir sobre quantas e quais letras são necessárias para a representação da palavra, bem como operar sobre os aspectos relacionados à escrita correta das palavras. Esse jogo possibilita ao aluno, não só das séries iniciais, mas também das 5ª e 6ª séries, refletir sobre a escrita ortográfica de palavras de um mesmo campo semântico, como nomes de pessoas, de países, de animais; sobre a escrita de diferentes palavras iniciadas ou terminadas com uma letra sorteada pelo professor; assim como refletir sobre o estabelecimento de relações entre a linguagem oral e a linguagem escrita, isto é, a correspondência entre a escrita das palavras e sua sonoridade.
Cabe ainda afirmar que não só esses jogos, mas também outros que possam auxiliar no desenvolvimento da escrita ortográfica, devem fazer parte da sala-ambiente de Língua Portuguesa, uma vez que o domínio progressivo das formas ortográficas se inicia no 1º grau e continua durante toda vida.

Os fantoches, as fantasias e o jogo dramático
Um outro material indicado para fazer parte da sala-ambiente é o conjunto de fantoches de mão e palco, fantasias e/ou vestuários, adereços e máscaras, pois o professor poderá, por meio desse material, explorar a narratividade que os alunos trazem desenvolvida, inicialmente, no meio em que vivem.
A maioria dos alunos tem interiorizadas as estruturas provenientes das histórias de fadas, das aventuras, dos programas de TV, do anedotário popular.
A sala-ambiente deve ser um espaço rico, onde o professor junto com os alunos possam criar situações para "brincar" de teatro, montar telenovelas, radionovelas, propagandas, experienciar o jogo dramático, viajar para outros espaços e outras épocas, dialogando com o possível e o impossível, deixando-os viver representando o real, descobrindo formas de interpretar e ler o mundo, e recriar a própria vida.

O papel da sucata na sala-ambiente
Além dos materiais estruturados, o professor poderá propor aos alunos a confecção de outras fantasias, adereços e máscaras feitas com sucatas (saquinhos de papel, tecidos usados, papel crepom e outros) para a dramatização de histórias contadas pelo professor, criadas pelos alunos (individual ou coletivamente) e para toda representação que as crianças puderem experienciar através do jogo simbólico.
À medida que os diversos tipos de texto são vivenciados, os alunos irão perceber que a escrita varia de acordo com suas finalidades.
Os materiais indicados para fazer parte do acervo da sala-ambiente de Língua Materna deve ser colocado à disposição dos alunos, como já foi dito anteriormente, a fim de propiciar interações com as diferentes linguagens, não só por meio dos textos escritos, falados, mas também por meio dos filmes.

A videoteca na sala-ambiente
Os filmes produzidos a partir dos clássicos infantis (Branca de Neve e os Sete Anões, Chapeuzinho Vermelho, Pinóquio, e outras), e das narrativas contemporâneas (A Pequena Sereia, Chico Bento, O Rei Leão, 101 Dálmatas, Quero ser Grande e outras) devem fazer parte da sala-ambiente das séries iniciais, pois apresentam uma linguagem específica para construir o significado, baseada em uma combinação de texto escrito, músicas, ruídos e, especialmente, de images em movimento.
Para as demais séries, os filmes produzidos a partir de obras clássicas (A Moreninha, A Escrava Isaura e outras), informativas (Gaijin - caminho da liberdade, Gandhi e outras), Ficção (Jurassic Park), infantis (Pedro e o Lobo, Peter Pan, O Rei Leão) poderão também enriquecer o trabalho com as atividades de linguagem, de operação e reflexão sobre o texto e as atividades de metalinguagem.
A partir do contato com uma diversidade de filmes disponíveis no mercado, cujas narrativas enfocam aspectos relacionados à realidade dos alunos, o professor poderá propor inúmeras situações de ensino-aprendizagem, priorizando o ensino formal da língua escrita.
A troca de informações gerada pelo questionamento dos assuntos tratados nos filmes ajudará o aluno a desenvolver a competência leitora em níveis crescente de sutileza e complexidade.
A partir dessa troca para a busca de significado, é fundamental propiciar aos alunos diferentes situações para o desenvolvimento da linguagem escrita como, por exemplo, produzir um texto opinativo, individual ou em duplas, sobre o assunto tratado no filme.
Pode-se também solicitar a escrita do discurso direto, obedecendo a pontuação correta, que aparece num momento da narrativa, ou ainda, descrever personagens da história a que se assistiu.
Além disso, para as séries mais avançadas, pode-se propor a escrita, individual ou em duplas, da história sob o ponto de vista de um dos personagens.
Nas séries iniciais, pode-se propor a descrição da personagem principal da história, listar os nomes das personagens, ou ainda escrever o trecho mais significativo da história.
É importante, antes de qualquer situação de escrita, elencar com a classe as diferentes leituras que poderão surgir após a projeção do filme, o papel de cada personagem, a função dos ruídos utilizados como recursos no filme, o lugar onde aconteceu a narrativa.

O uso simultâneo dos materiais
Diferentes situações podem ser propostas a diferentes grupos de alunos.
 Uma delas é organizá-los em grupos para usar os jogos, com a finalidade de trabalhar as questões ortográficas e, ao mesmo tempo, propor a outros a seleção de textos opinativos, pesquisados nos jornais, para a leitura em classe.
 Pode-se, ainda, organizar a sala-ambiente para desenvolver diferentes projetos de leitura e escrita, de maneira que todos os alunos sejam envolvidos.
Enfim, o professor poderá pensar em diversas situações para atender às necessidades dos alunos e alcançar seus objetivos.

O uso dos materiais na sala-ambiente através de projetos
Pode-se organizar a sala-ambiente para o desenvolvimento de diferentes projetos de leitura e escrita.
Clube de Leitura (5ª e 6ª séries)
Os alunos organizados em grupos escolhem no acervo da sala-ambiente, segundo critérios preestabelecidos em conjunto, os livros que serão lidos e discutidos com o grupo de colegas e estabelecem o tempo para cada aluno ler a obra selecionada.
Quinzenalmente, no encontro do Clube de Leitura na escola, os alunos se organizam em grupos e discutem suas leituras.
Cada grupo elege um relator que, a partir de um roteiro fornecido pelo professor, registra os temas e as discussões.
 O professor deve percorrer os grupos, participar das conversas, questionar e também colocar suas opiniões.
Em seguida, as informações adquiridas devem ser socializadas no grupo-classe.
O Clube de Leitura é uma oportunidade não só para o incentivo à leitura, mas principalmente para que os alunos troquem entre si os diferentes significados de um mesmo texto lido, ampliando assim suas concepções iniciais.
Ler, ou apenas ouvir uma história, tendo a oportunidade de comentá-la coletivamente depois, é uma atividade enriquecedora para o grupo e para cada um.
À medida que os alunos vão apresentando as discussões sobre as obras lidas, é importante fazer o registro dos títulos, por grupos, em um cartaz afixado na classe, para que todos acompanhem o número de títulos lidos.

Oficina de leitura e escrita: trabalhando com narrativas (Séries Iniciais)
O projeto é para ser desenvolvido durante duas semanas.
A opção para este projeto é selecionar histórias com repetição, como Os Três Porquinhos, O Casamento de Dona Baratinha, A Galinha Ruiva, uma vez que este gênero é bastante atraente para as crianças e permite ao leitor antecipar o que o autor vai dizer, facilitando a percepção da estrutura do texto.
O professor pode optar pela leitura de um texto, por exemplo, A Galinha Ruiva, no primeiro dia, que deverá ser distribuído a todos os alunos. Iniciar a orientação para a leitura, momento em que os conhecimentos prévios sobre o tema do texto são discutidos, a fim de facilitar a compreensão. Há a exploração dos índices de leitura que a capa do livro traz.
A seguir, o professor pode sugerir a leitura silenciosa, de modo que o aluno tenha possibilidade de estabelecer uma relação íntima com o escritor, podendo ainda checar suas hipóteses em relação ao texto.
Um momento importante após esta leitura é a discussão em grupo sobre o texto lido, para que os alunos possam confrontar suas hipóteses, opiniões, desacordos e sentimentos com seus colegas, ocasião em que tomam consciência de seu próprio conhecimento sobre o assunto, bem como dos aspectos de seu discurso em que há contradições.
A leitura em voz alta pelo professor deve ser o último momento. As crianças devem acompanhá-la em seus próprios textos.
No caso dos alunos iniciantes, que ainda não desenvolveram boas estratégias de leitura, esta situação possibilitará a leitura do texto todo.
Depois de comentar com os alunos a história, deve-se levantar quais são os fatos que se repetem.
O professor poderá ler novamente o texto, para que os alunos possam dizer com maior facilidade os trechos que se repetem.
Em seguida, o professor registra os fatos que se repetem em um cartaz e deixa em exposição na classe.
No dia seguinte recorda a história com a classe, utilizando o registro do dia anterior, e retoma o conto a partir de algumas perguntas, como:
Qual é o nome da história?
 Como ela começa?
Qual é o personagem principal?
O que acontece depois?
Qual o fato que se repete?
Que palavras ou frases se repetem?
Como termina a história?
No terceiro dia, o professor pode retomar o processo com a leitura de outro texto, por exemplo, Os Três Porquinhos.
Chama a atenção das crianças para as repetições de palavras ou frases, fazendo perguntas como:
O que vocês acham que acontecerá depois?
Por que vocês acreditam que vai acontecer assim?
Por que o personagem vai dizer/perguntar isso?
 Essas perguntas mostram às crianças que a estrutura do texto lhes permite fazer predições.
No quarto e quinto dia, as crianças, em duplas, devem selecionar outros contos do acervo de livros da sala-ambiente para a leitura.
No quinto dia, cada criança elege seu conto favorito, reescreve e ilustra o texto.
No sexto dia, o professor poderá propor aos alunos, em duplas, que sugiram idéias para a escrita de um conto.
O levantamento deve ser feito após a discussão em duplas.
 É importante o professor definir, com as perguntas, quem será o personagem principal, qual será o problema, etc.
Depois que as crianças desenvolverem oralmente um plano, estão prontas para ditar um primeiro rascunho.
 As crianças devem fazer o registro, no próprio caderno, do texto produzido, que será retomado no dia seguinte.
No sétimo dia, o texto deverá ser afixado para a leitura e para fazer as possíveis revisões.
A leitura feita no dia seguinte possibilita um certo distanciamento, que favorece uma análise crítica do texto. Assim, as crianças relêem, e o papel do professor é fazer relações com outros contos que foram lidos pela classe, de modo a incentivar a modificação e a melhoria do texto.
Os alunos costumam sugerir que se acrescentem descrições de cenas ou de personagens, que se mude a seqüência de alguns fatos ou falas de personagens.
O professor deve provocar a revisão da gramática da frase e estimular os alunos a introduzir conectivos, de forma a tornar a leitura do texto mais compreensível ou mais divertida.
Finalmente, o conto deverá ser escrito em uma folha grande de papel e afixado na sala.
Pode-se fazer cópias para as crianças ou solicitar que copiem o texto.
Cada um poderá ilustrá-lo como quiser.
O trabalho com contos não se encerra com a produção coletiva.
Durante os próximos três dias dessa atividade, os alunos poderão escrever seus próprios textos.
O professor deverá fazer junto com o autor do texto a revisão ortográfica necessária.

Projeto: Campanha para uma comunidade sadia (7ª, 8ª séries e Ensino Médio)
O projeto é para ser desenvolvido durante 20 dias.
O objetivo é conscientizar os vizinhos sobre a necessidade de preservar o meio ambiente de sua comunidade.
A partir do relato dos alunos sobre as características do bairro onde está localizada a escola, levantar um dos problemas e tentar solucioná-lo.
Por exemplo, um terreno baldio que sirva de depósito de lixo.
O professor poderá propor que seja montada, em classe, uma espécie de agência publicitária para organizar uma campanha no bairro.
 Devem ser selecionados pelo grupo, os materiais que poderão servir de instrumentos de divulgação na comunidade, cartazes e/ou folhetos.
Além disso, é preciso planejar uma palestra para ser proferida para as demais séries, a fim de conscientizar os alunos sobre a problemática.
Para conhecer a estrutura dos materiais a serem elaborados, o professor pode solicitar aos alunos que tragam para a classe folhetos e cartazes que são distribuídos nos semáforos, nas residências e, também, nos jornais de grande circulação.
Os alunos, em classe, deverão observar os diferentes portadores e suas características.
Deve-se chamar a atenção deles para os dados gráficos e textuais.
Na sala-ambiente, os alunos deverão pesquisar, nas diversas revistas, nos manuais didáticos, e também na biblioteca da escola, em enciclopédias, os aspectos da poluição ambiental a fim de ampliar os conhecimentos para que possam enfrentar adequadamente a organização da informação.
Os textos informativos devem ser lidos e discutidos em aula por todos, socializando assim todas as informações.
O professor poderá, também, contribuir com outros artigos.
Caso os alunos façam a opção por cartazes e folhetos, estes deverão ser confeccionados por duplas, e seus trabalhos serão revisados com a participação de outras duplas, para então serem passados a limpo.
O professor fará com os alunos a revisão final.
É importante estabelecer o que cada dupla deverá produzir, um cartaz e/ou um folheto.
Assim que o material estiver pronto, será eleita uma equipe responsável para proferir uma conferência na escola sobre o assunto tratado.
Após a divulgação na escola, serão afixados os cartazes no bairro (nos lugares onde for permitido), e os folhetos serão distribuídos.
Elaboração: Sonia Gouveia Jorge




Link para essa postagem


4 comentários:

  1. Ola! Parabéns querida!
    Sera que você pode me ajudar, pois não consigo postar no meu blog, algumas atividades que eu faço no word.Acho que tenho que converter mais não sei como.Conto com sua ajudar.
    Fique com Deus e boa noite.

    ResponderExcluir
  2. Olá amiga do meu coração:)
    Feliz aqui por você ter gostado...
    Um excelente dia para você
    beijos fica com Deus!

    ResponderExcluir
  3. Ola td bem?
    Parabens! amei seu blog,
    Será que voce pode me ajudar?Sou estudante de letras e minha professora pediu para nós um trabalho com um quadro semanal de atividade desenvolvida em sala de aula só quem com alunos deficientes que podem se locomover ou não, que atividade voce me sugeri?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valquiria, minhas postagens são específicas para o Ensino Infantil. Mas sua pergunta é bem abrangente. Atividade para que nível? Turma? Leitura? Literatura?

      Excluir

Deixe seu comentário e retornarei assim que for possível.
Obrigada pela visita e volte mais vezes!
Linguagem não se responsabilliza por ANÔNIMOS que aqui deixam suas mensagens com links duvidosos. Verifiquem a procedência do comentário!
Nosso idioma oficial é a LINGUA PORTUGUESA, atenção aos truques de virus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios